Incontinência urinária

O que é Incontinência Urinária e como ela pode afetar sua vida?

A incontinência urinária é uma condição que afeta dramaticamente a qualidade de vida, comprometendo o bem-estar físico, emocional, psicológico e social. A condição pode acometer indivíduos de todas as idades, de ambos os sexos e de todos os níveis sociais e econômicos.

Normalmente existe uma perfeita coordenação entre a bexiga e o esfíncter (músculo que funciona como uma válvula que fecha a uretra, impedindo a saída da urina). A maioria das pessoas possui completo controle sobre esse processo, permitindo o enchimento da bexiga entre 400 ml e 500 ml, sem que ocorram perdas urinárias. Na fase de enchimento, a bexiga está relaxada e o esfíncter contraído. Na fase de esvaziamento da bexiga, é necessária uma perfeita coordenação entre a contração do músculo da bexiga e o relaxamento do esfíncter. Esta coordenação é chamada de sinergismo vesicoesfincteriano.

Leia também:

– Preocupação com a frequência sexual

– Disfunções Sexuais Femininas

– Influência dos medicamentos sobre o desejo sexual

 

O que é Incontinência Urinária?

A incontinência urinária é uma doença que consiste na perda involuntária de urina e caracteriza uma manifestação de que existe algum problema com o funcionamento do trato urinário inferior. A doença gera desconforto social, prejuízo profissional e psíquico ao paciente.

Apesar de não atingir exclusivamente os idosos – aproximadamente 15% a 30% das pessoas acima de 60 anos apresentam a doença -, a incontinência urinária é mais comum na fase geriátrica e em mulheres, e pode ser agravada pelo relaxamento dos músculos perineais, por consequência da idade.

Atribui-se a prevalência no sexo feminino ao fato de a mulher apresentar, além da uretra, duas falhas naturais no assoalho pélvico: o hiato vaginal e o hiato retal. Isso faz com que as estruturas musculares que dão sustentação aos órgãos pélvicos e produzem a contração da uretra para evitar a perda urinária e o músculo que forma um pequeno anel em volta da uretra, sejam mais frágeis nas mulheres.

 

Incontinência Urinária no dia a dia

Além dos efeitos físicos da doença, a incontinência urinária afeta os indivíduos psicologicamente, pois interfere na qualidade de vida, podendo acarretar depressão e influenciar na vida sexual por gerar desconforto para o paciente.

Os sintomas afetam o trabalho e a autoestima, uma vez que a doença impõe restrições de convivência ao limitar as atividades por conta da incapacidade de conter a urina. Porém, como a maioria desses problemas não é incapacitante, muitas pessoas não procuram um médico e acreditam ser uma consequência natural da idade.

 

Causas

A incontinência urinária não é uma doença, é um sintoma. Pode ser causada por hábitos do dia a dia, condições médicas subjacentes ou problemas físicos. Uma avaliação completa realizada pelo médico pode ajudar a determinar o que está por trás da incontinência.

As causas mais comuns da incontinência urinárias são infecção urinária ou vaginal, consequências de algumas cirurgias, constipação intestinal, fraqueza nos músculos pélvicos, obstrução da uretra por aumento da próstata, lesões na coluna e efeito colateral de medicamentos.

 

Incontinência urinária temporária

Certas bebidas, alimentos e medicamentos podem agir como diuréticos – estimulando a bexiga e aumentando o volume de urina. Eles incluem:

  • Álcool
  • Cafeína
  • Bebidas gaseificadas e água com gás
  • Adoçantes artificiais
  • Chocolate
  • Pimenta
  • Alimentos que são ricos em especiarias, açúcar ou ácido, especialmente frutas cítricas
  • Medicamentos para o coração e pressão arterial, sedativos e relaxantes musculares
  • Grandes doses de vitamina C

A incontinência urinária também pode ser causada por uma condição médica facilmente tratável, como:

Infecção do trato urinário – Infecções podem irritar a bexiga, causando muita vontade de urinar e, às vezes, incontinência.

Prisão de ventre – O reto está localizado perto da bexiga e compartilha muitos dos mesmos nervos. As fezes duras e compactadas no reto fazem com que esses nervos fiquem hiperativos e aumentem a frequência urinária.

 

Incontinência urinária persistente

A incontinência urinária também pode ser uma condição persistente causada por problemas físicos subjacentes, como:

Incontinência Urinária de Esforço – ocorre devido a uma deficiência no suporte da bexiga e da uretra, que é feito pelos músculos do assoalho pélvico, ou por uma fraqueza ou lesão do esfíncter uretral. Nessa situação, ocorre perda de urina quando a pessoa faz esforços com o abdômen (tossir, espirrar, correr, rir, pegar peso, levantar, andar).

Incontinência Urinária por Urgência – acontece quando a bexiga está hiperativa (contração da bexiga sem o comando voluntário). A sensação é de não conseguir chegar ao toalete, um repentino desejo de urinar que pode ou não ser controlado. A bexiga pode tornar-se hiperativa devida a uma infecção urinária que a irrita ou por alterações nos nervos que a controlam.

Incontinência Urinária por Transbordamento – ocorre quando a bexiga não é esvaziada por longos períodos, tornando-se tão cheia que a urina simplesmente transborda. Isso pode acontecer quando a pessoa não percebe que a bexiga está cheia, quando existe uma fraqueza do músculo da bexiga ou obstrução na uretra que dificulta o esvaziamento normal. A principal causa de incontinência por transbordamento no homem é um aumento da próstata com obstrução da uretra. Fraqueza do músculo da bexiga e diminuição da sensibilidade podem ocorrer em ambos os sexos e são mais comuns em pessoas com diabetes, uso crônico de álcool.

Enurese Noturna – é a perda de urina durante o sono.

 

Incontinência Urinária pode prejudicar a vida sexual da mulher?

Muitos problemas estão ligados à ansiedade. A possibilidade de “vazamento” durante a atividade sexual é uma preocupação de muitas mulheres com incontinência urinária, especialmente durante o orgasmo. Eles também podem se sentir envergonhadas em precisar de absorventes para incontinência e se preocupar com o cheiro ou com a urina. Muitas mulheres estão nervosas sobre como o parceiro responderá à situação e se a experiência sexual do parceiro será diminuída.

Como resultado, muitas perdem a autoconfiança sexual, sentindo-se pouco atraentes e indesejáveis. O medo de “vazar” pode fazê-las fugir do sexo. Elas podem ter dificuldade em relaxar, não se permitindo “deixar ir” e atingir o orgasmo. Ou, elas podem conscientemente evitar o orgasmo por medo da condição.

Ansiedade pode causar tensão no corpo, o que pode resultar em dor durante a penetração, por isso é muito importante que a mulher faça o tratamento e o acompanhamento correto com o especialista para evitar maiores danos a sua vida pessoal.

Doutor Max é atualmente Médico no Hospital da Unimed e Hospital das Clínicas da UFMG, na Especialidade de Urologia.

Procure saber mais sobre os tratamentos para Incontinência Urinária pelo telefone: (31) 3097-1308

0 respostas

Deixe uma resposta

Participe da discussão.
Fique a vontade para contribuir!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *