Dicas para a saúde masculina

6 Coisas que todo homem deveria saber:

Veja o que você deveria saber na hora de cuidar da sua saúde íntima

Homens, sejamos sinceros: é difícil se manter atualizado sobre todas as dicas de saúde e rotinas preventivas que que surgem todos os dias, não é mesmo?

Nesse caso, para ajudar, reuni uma lista com uma série de dicas sem prazo de validade que podem te ajudar a se manter saudável e em dia com a saúde.

Leia também:

– 5 Razões para apostar na terapia sexual

– Por que você deveria cuidar melhor da sua saúde pélvica?

– Homens: Como aumentar o desejo depois dos 40?

 

Aqui estão seis fatos íntimos que todo homem deveria saber:

 

1.    Medicamentos de uso contínuo podem incentivar ou aumentar sua incontinência

Se você está enfrentando problemas de incontinência urinária ou se ela está piorando, é bom verificar os medicamentos prescritos, pois eles podem contribuir para o problema.

Quatro grupos de medicamentos podem causar ou aumentar a incontinência:

  • Diuréticos (estimulam o funcionamento dos rins para eliminar o excesso de líquidos no organismo através da urina, aumentando a frequência de micção);
  • Bloqueadores alfadrenérgicos (medicamentos indicados ​​para o controle da hipertensão, que dilatam os vasos sanguíneos e pressionam a uretra, diminuindo assim, o fluxo de urina);
  • Antidepressivos e analgésicos (alguns desses medicamentos podem impedir que a bexiga se contraia e esvazie completamente. Isso gera a sensação de urgência e o aumento da frequência de micção);
  • Sedativos e remédios para dormir (especialmente para aqueles pacientes já diagnosticados com incontinência, pois sua ação pode diminuir a consciência da necessidade de urinar).

Se você estiver tomando qualquer um desses, informe o seu médico sobre sua incontinência e discuta seus medicamentos (com receita e sem receita) para ver se outra abordagem pode controlar ou eliminar o problema.

 

2.     É possível diminuir o risco de desenvolver pedras nos rins

Todos nós já ouvimos falar sobre a terrível dor de sofrer com pedra nos rins. Quem já experimentou nunca mais quer passar por isso. Pedras nos rins são um distúrbio comum do trato urinário e tendem a surgir em pessoas com histórico familiar da doença.

A boa notícia é que existem algumas medidas que você pode tomar para evitá-las. Uma delas é beber bastante água – a desidratação é a principal causa de cálculos renais. O segundo é limitar a ingestão de sódio. Isso reduzirá a quantidade de cálcio na urina, que por sua vez pode reduzir a formação de pedras nos rins.

 

3.     Fuja dos mitos sobre o câncer de próstata

Quando se trata de exames periódicos ou do tratamento do câncer de próstata, alguns mitos persistem em continuar no “boca-a-boca” da sociedade.

Um desse mitos é que o teste de PSA (ou antígeno específico da próstata) só é indicado para homens mais jovens. Não, esse teste é mais indicado para pacientes acima dos 50 anos e pode ser utilizado em complemento ao exame de toque retal.

Um segundo mito é que uma pontuação alta no PSA é sinônimo de câncer de próstata. Outras condições podem causar PSA mais alto, portanto, uma biópsia é a única maneira de determinar o diagnóstico.

Um terceiro mito é que a cirurgia da próstata causa incontinência urinária e disfunção erétil. Há chances de o paciente desenvolver um quadro de incontinência e algum grau de disfunção erétil após o procedimento, mas isso não é regra.

No entanto, quando executado e acompanhado por um especialista experiente, essas complicações podem ser satisfatoriamente tratadas.

 

4.     Disfunção erétil pode ser um indicativo de doença cardiovascular precoce

A disfunção erétil, ou DE, não trata apenas do apenas sexo. Ela pode ser um sinal para outras várias condições médicas e por isso, não deve ser ignorada.

A disfunção erétil é frequentemente sinaliza a existência de uma doença cardiovascular, e também pode ser um sinal para outros problemas como diabetes, obesidade e baixa testosterona.

Portanto, mesmo que você não se incomode as “falhas” de vez em quando ou não queira tratamento para a DE, informe o seu médico sobre qualquer problema de disfunção erétil.

 

5.     O melhor momento para fazer uma vasectomia

Se você deseja passar por uma vasectomia, é bom se preparar para passar algum tempo descansando e evitando tudo o que for fisicamente exaustivo.

Por isso, se prepare com antecedência! Você pode até verificar a programação do cinema ou do seu do seu time, para assistir enquanto se recupera.

 

6.     É possível proteger a saúde com alguns cuidados simples

Você é uma pessoa que não gosta de ir ao médico? Muitos homens são, por razões que variam de constrangimento a até uma rotina agitada.

Mas se você tem um problema de saúde, principalmente relacionado a câncer de testículo, próstata ou doenças sexualmente transmissíveis, é importante prestar atenção aos sinais que seu corpo está enviando e procurar ajuda.

No entanto, você não precisa procurar um médico apenas quando está doente, é possível proteger sua saúde de uma forma mais simples, em quatro passos:

1 – Faça um autoexame mensal;

2 – Relate episódios de disfunção erétil ao seu médico;

3 – Faça exames regulares de saúde;

4 – Observe os sinais de alerta de DST’s.

 

Como começar a se cuidar?

Já expliquei em mais detalhes quais são e como surgem as principais disfunções sexuais masculinas no texto: Quais são as principais Disfunções Sexuais Masculinas e como trata-las?

Para ficar livre desses problemas é importante buscar ajuda e fazer o acompanhamento médico.

Atualmente ofereço orientação especializada em Sexologia em meu consultório. Além disso, atendo a especialidade de Urologia nos seguintes locais:

  • Hospital da Unimed
  • Hospital das Clínicas da UFMG
  • Hospital Vera Cruz
  • Hospital Universitário de Ciências Médicas em Belo Horizonte.

Para marcar uma consulta e ser avaliado adequadamente, ligue para: (31) 3097-1308 ou entre em contato pelo e-mail: contatodrmax@gmail.com

Para ficar por dentro do conteúdo de urologia e sexologia, me acompanhe nas redes sociais: @doutormax

0 respostas

Deixe uma resposta

Participe da discussão.
Fique a vontade para contribuir!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *