Ansiedade sexual

Como lidar com a ansiedade durante o sexo?

Saiba como superar a ansiedade sexual

Homens e mulheres já experimentaram algum tipo de ansiedade sexual ao longo da vida. Sentir-se ansioso, algumas vezes, sobre a performance sexual é comum, mas quando se torna uma condição persistente, pode afetar a qualidade de vida. Então, o que é possível fazer para dissipar as dúvidas que rodeiam esse tema e começar a ter uma vida sexual mais saudável?

 

Leia também:

 

O que é ansiedade sexual?

Ansiedade sexual – ou ansiedade de desempenho sexual – é algo que afeta homens e mulheres de todas as idades, independentemente da experiência com o ato sexual.

Para alguns, esse tipo de ansiedade é de curta duração e pode aparecer brevemente na antecipação de um novo encontro sexual.

Outras pessoas, no entanto, podem achar difícil desfrutar de uma vida sexual saudável por causa disso, e podem experimentar esse tipo de ansiedade com mais regularidade.

 

Mas como a ansiedade sexual se manifesta?

Homens e mulheres podem expressar essa sensação de maneiras diferentes, embora na maioria dos casos, esteja relacionado ao medo de que algum aspecto de sua performance não agrade o parceiro.

Um dos efeitos dos hormônios do estresse é estreitar os vasos sanguíneos. Nos homens, quanto menos sangue flui para o pênis, mais difícil se torna a ereção. Mesmo indivíduos que normalmente não apresentam nenhum problema em se excitar podem não conseguir uma ereção quando estão sobrecarregados pela ansiedade de desempenho sexual.

A ansiedade de desempenho sexual não é diagnosticada com tanta frequência nas mulheres quanto nos homens, mas também pode afetá-las. A ansiedade pode impedir que as mulheres fiquem excitadas o suficiente para fazer sexo, e isso pode tirar o desejo físico de fazer amor.

Nas mulheres, a ansiedade de desempenho sexual pode aparecer como dificuldade em se interessar por sexo, em se excitar ou em atingir o orgasmo.

 

Causas da Ansiedade sobre o Desempenho Sexual

O sexo é mais do que apenas uma resposta física, afinal, as emoções compõem parte importante do processo. Quando a mente está estressada demais para se concentrar no sexo, o corpo sente dificuldade em se sentir excitado.

Muitas preocupações diferentes podem levar ao problema, como:

  • Medo de não se dar bem na cama e satisfazer o parceiro sexualmente
  • Baixa autoestima corporal, incluindo preocupação com o peso
  • Problemas no relacionamento
  • Medo de não conseguir uma ereção
  • Preocupação com a ejaculação precoce ou demora para atingir o orgasmo
  • Ansiedade por não poder ter um orgasmo ou aproveitar a experiência sexual

Esses fatores podem levar o corpo a liberar hormônios do estresse, como epinefrina e norepinefrina.

 

E por que sentimos ansiedade sobre o desempenho sexual?

Aqui, os assuntos ficam um pouco mais complexos, mas é possível simplificar: é comum observarmos que esses pacientes tendem a se sentir inseguros com o desempenho sexual, com a opinião do parceiro, ou ainda, se assustam com a ideia de se tornarem íntimos de alguém.

Em alguns casos, a ansiedade sobre o desempenho sexual decorre de uma experiência traumática do passado – talvez relacionada à violência sexual. Se este for caso, por favor, o paciente não deve hesitar em procurar aconselhamento especializado.

Mas, na maioria dos casos essa resposta é condicionada pela maneira como a sociedade é educada a pensar sobre certos aspectos do sexo, e por expectativas sociais que impactam a sexualidade individual.

Abaixo, listo algumas dicas sobre como lidar com esses sentimentos de incerteza e preocupação antes e durante o sexo, para que seja possível desfrutar de uma vida sexual mais feliz e saudável.

 

Superando a ansiedade sexual

Ao notar os sintomas de ansiedade sexual, o paciente deve buscar ajuda profissional imediatamente, de preferência de um especialista na área, que o faça se sentir confortável e seguro dobre discutir sua vida sexual.

O médico poderá examiná-lo fisicamente e também pedir alguns testes adicionais para eliminar potenciais problemas adjacentes, como condições de saúde e efeitos colaterais medicamentosos.

Durante a avaliação, o médico procura saber mais sobre o histórico sexual do paciente, e descobrir há quanto tempo os sintomas de ansiedade vêm se manifestando.

Medicamentos e outras terapias podem ajudar a tratar a disfunção erétil e outros problemas sexuais que possuem causas físicas. Se as razões para o problema forem de origens emocionais ou psicológicas, o médico pode sugerir que o paciente busque algumas das seguintes abordagens:

 

Consultar um terapeuta:

O médico pode sugerir uma consulta com um terapeuta sexual, que possui experiência no tratamento de disfunções sexuais. A terapia pode ajudar na compreensão do problema e a reduzir ou eliminar os gatilhos que estão provocando a ansiedade sexual. Quando um paciente se preocupa com a ejaculação precoce, por exemplo, é possível que o terapeuta lhe ensine algumas técnicas que ajudem o paciente a ter mais controle sobre esse momento.

 

Conversar com o parceiro (a)

Conversar com o parceiro sobre a ansiedade sexual pode ajudar a aliviar algumas das preocupações. Quando o casal tenta chegar a uma solução de maneira conjunta, uma maior aproximação é promovida entre os parceiros, melhorando o relacionamento de modo geral.

 

Ficar íntimo de outras maneiras:

É possível ser íntimo sem necessariamente recorrer a relação sexual. Os parceiros podem tentar fazer uma massagem sensual ou tomar um banho relaxante juntos. Também podem tentar tocar e descobrir o corpo do parceiro, com paciência, sem pressionar a performance sexual.

 

Atividades físicas:

O exercício físico não apenas melhora a relação individual com o próprio corpo, mas também melhora a resistência na cama.

 

Se distrair

O paciente pode escolher uma música romântica ou um filme sexy para se concentrar enquanto faz amor. Pensar em algo que o excita.

Tirar o foco sobre o desempenho sexual pode remover as preocupações que o impedem de ficar animado.

Finalmente, acalmar-se. Não se preocupar com sua aparência ou habilidade na cama.

 

Procurar ajuda

O paciente não deve hesitar em procurar ajuda para a ansiedade sobre desempenho sexual, para que possa voltar a ter uma vida sexual saudável e prazerosa.

Doutor Max é atualmente Médico no Hospital da Unimed e Hospital das Clínicas da UFMG, na Especialidade de Urologia.

Procure saber mais sobre Terapia Sexual pelo telefone: (31) 3097-1308

Para ter acesso a mais conteúdos sobre Sexologia e Urologia, acompanhe nas redes sociais: @doutormax

0 respostas

Deixe uma resposta

Participe da discussão.
Fique a vontade para contribuir!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *