Vasectomia e desejo sexual

Vasectomia diminui o desejo sexual?

Saiba se a vasectomia pode interferir no desejo sexual e quais são seus benefícios

Vasectomia é um procedimento cirúrgico que interrompe a circulação dos espermatozoides produzidos pelos testículos e conduzidos através do epidídimo (tubo em forma de novelo que se localiza na parte superior dos testículos) para os canais deferentes que desembocam na uretra.

Trata-se de um método de contracepção muito seguro, porém, muitos homens se recusam a fazer o procedimento pois imaginam correr o risco de desenvolver distúrbios de ereção, no que estão completamente enganados. A vasectomia torna o homem estéril, mas não interfere na produção de hormônios masculinos nem em seu desempenho sexual.

Tentando compreender a dimensão dessa crença, por aproximadamente um ano pesquisadores procuraram analisar os medos e anseios de homens que estavam pensando em se submeter a vasectomia e acabaram desistindo. As principais razões apontadas foram:

  • Ansiedade relacionada a dor durante a cirurgia;
  • Medo sobre a possível influência da vasectomia sobre o desejo sexual.

 

Com relação ao medo, é compreensível que cada indivíduo tenha sua própria tolerância em lidar com questões do tipo. Já em relação a performance sexual, será que a vasectomia diminui o desejo sexual?

 

Vasectomia diminui o desejo?

Os homens podem ficar aliviados pois não há relação negativa entre a vasectomia e o desejo sexual. Isso significa que fazer uma vasectomia NÃO diminui a vontade de fazer sexo. Isso acontece porque nada muda fisiologicamente dentro do corpo depois de uma vasectomia.

A esterilização masculina não interfere em vasos sanguíneos ou nervos necessários para a ereção ou para a ejaculação. Portanto, uma vasectomia não causa impotência ou diminui a capacidade de manter uma ereção.

 

Leia também:

 

Então a vida sexual continua normalmente?

Sim. Após uma vasectomia, ainda é possível:

  • Ter a mesma libido e desejo sexual
  • Ter e manter ereções
  • Ejacular
  • Ter um orgasmo

 

Mas como funciona uma vasectomia?

A vasectomia impede que o espermatozoide seja liberado no sêmen durante a ejaculação. Então, a única coisa que muda após o procedimento é que o espermatozoide não é mais ejaculado durante o orgasmo, mas o restante do sêmen sim.

Por conta disso, pode haver uma pequena redução no volume do fluído de ejaculação, porém, praticamente imperceptível pelo paciente.

A cor e a consistência do sêmen também não sofrem alterações, já que aproximadamente 95% da ejaculação é produzida na próstata e nas vesículas seminais – ambas fora do alcance do procedimento.

Além disso, a vasectomia não afeta a masculinidade. Os testículos e as glândulas supra-renais continuam a produzir testosterona (hormônio masculino). Isso significa que o paciente continua a ter desejo sexual, a falar com o mesmo tom de voz e a ter pelos faciais.

 

Vasectomia = satisfação:

A vasectomia não diminui o desejo sexual ou a capacidade de desfrutar do sexo. O procedimento impede que o paciente forneça espermatozoides para fertilizar um óvulo.

Como a vasectomia é permanente, o paciente deve considerar seriamente sua decisão antes do procedimento, uma vez que não será mais possível conceber uma prole após fazê-lo. Isso deve incluir discussões entre cônjuges e com profissionais da área médica.

É importante que o paciente expresse as suas preocupações com seu médico, e tire suas dúvidas com relação a diminuição do desejo sexual, dor, a oportunidade de reversibilidade, etc.

Pesquisas mostram que há uma grande necessidade de aconselhamento pré-vasectomia – especialmente na área do pós-operatório.

 

Pacientes relatam melhora no desempenho sexual após vasectomia

O procedimento promete esterilização, mas isso não é tudo: uma pesquisa recente conduzida por pesquisadores da Universidade de Frankfurt, na Alemanha, descobriu que homens que se submeteram a vasectomias também relataram melhora na satisfação sexual.

Segundo o relatório, “os homens vasectomizados tiveram resultados significativamente melhores do que o outro grupo analisado, levando em consideração o histórico saudável da função erétil, orgasmo, desejo sexual e satisfação sexual”.

As mulheres cujos parceiros foram esterilizados também relataram se sentir mais excitadas do que aquelas cujos parceiros permaneceram férteis.

 

Mas por que isso acontece?

Especialistas teorizam que tudo se resume à vasectomia, que remove a ansiedade sobre uma possível gravidez não desejada.

“O aumento do desejo sexual deriva de não ter que se preocupar com gravidez, fraldas, mensalidades da faculdade e tudo mais que venha com um bebê”, explica Jamin Brahmbhatt, especialista em urologia e infertilidade da Orlando Health.

Brahmbhatt também explica que ter uma parceira que faz uso de anticoncepcional não proporciona o mesmo efeito, apesar de parecer uma alternativa viável: “Com uma vasectomia, o homem está no controle”, diz ele. “Com a pílula, o homem depende de outra pessoa para protegê-lo [de gravidez indesejada]”.

Uma vez que os casais se sentem livres da ansiedade sobre o risco de uma gravidez não desejada, muitos relatam que a relação até melhora após o procedimento. A maioria dos casais relata que o sexo se torna:

  • Mais satisfatório;
  • Mais intenso e sensual;
  • Mais espontâneo;
  • Mais prazeroso;
  • Mais frequente.

Conseguir um melhor desempenho sexual não deve ser o objetivo da vasectomia. No domínio da função erétil, orgasmo, desejo sexual e satisfação sexual, apenas um pouco mais da metade dos participantes experimentou melhorias.

Ser esterilizado também é uma decisão que muda a vida: “Os homens só devem fazer uma vasectomia quando tiverem 110% de certeza de que não querem mais ter filhos”, enfatiza Brahmbhatt.

 

Desfazendo mitos

0 respostas

Deixe uma resposta

Participe da discussão.
Fique a vontade para contribuir!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *