Hormônios femininos e o sexo

Como os hormônios sexuais femininos interferem na relação?

Neste artigo, discuto sobre os diferentes tipos de hormônios sexuais femininos, seus papéis no corpo e como eles afetam a excitação sexual.

Casal de mulheres juntas olhando para o celular

Hormônios sexuais femininos desempenham papéis vitais no desenvolvimento sexual, na reprodução e na saúde em geral. Os níveis de hormônios sexuais mudam com o tempo, mas algumas das mudanças mais significativas ocorrem durante a puberdade, a gravidez e a menopausa.

 

O que são hormônios sexuais?

Os hormônios são mensageiros químicos produzidos pelas glândulas endócrinas e liberados na corrente sanguínea. Os hormônios ajudam a regular muitos processos corporais, como o apetite, o sono e o crescimento.

Hormônios sexuais desempenham um papel essencial no desenvolvimento sexual e na reprodução. As glândulas supra-renais e as gônadas são as principais glândulas produtoras de hormônios sexuais, no caso das mulheres incluem os ovários, e, no caso dos homens, os testículos.

Os hormônios sexuais também são importantes para várias funções corporais, influenciando diretamente a saúde geral. Os hormônios sexuais causam influência direta em:

  • puberdade e desenvolvimento sexual
  • reprodução
  • desejo sexual
  • crescimento ósseo e muscular
  • respostas inflamatórias
  • níveis de colesterol
  • crescimento do cabelo
  • distribuição de gordura corporal

Os níveis de hormônios sexuais flutuam durante a vida. Fatores que podem afetar os níveis de hormônios sexuais femininos incluem:

  • idade
  • menstruação
  • gravidez
  • menopausa
  • estresse
  • medicações
  • ambiente

Desequilíbrio dos hormônios sexuais pode levar a alterações no desejo sexual e problemas de saúde, como perda de cabelo, perda óssea e infertilidade.

 

Tipos de hormônios sexuais femininos

Mulheres correndo na esteira

Nas mulheres, os ovários e as glândulas supra-renais são os principais produtores de hormônios sexuais. Os hormônios sexuais femininos incluem estrogênio, progesterona e pequenas quantidades de testosterona.

Estrogênio

O estrogênio é provavelmente o hormônio sexual mais conhecido.

Embora a maioria da produção de estrogênio ocorra nos ovários, as glândulas supra-renais e as células adiposas também produzem pequenas quantidades desse hormônio. O estrogênio desempenha um papel crucial no desenvolvimento reprodutivo e sexual, que inicia-se na puberdade.

Progesterona

Os ovários, as glândulas supra-renais e a placenta produzem o hormônio progesterona. Os níveis de progesterona aumentam durante a ovulação e atinge seu o pico durante a gravidez.

A progesterona ajuda a estabilizar os ciclos menstruais e prepara o corpo para a gravidez. Baixos níveis de progesterona podem levar a períodos irregulares, dificuldade para engravidar e maior risco de complicações durante a gravidez.

Testosterona

Embora a testosterona seja o principal hormônio sexual masculino, ela também está presente em quantidades menores nas mulheres.

Nas mulheres, a testosterona afeta:

  • fertilidade
  • desejo sexual
  • menstruação
  • tecido e massa óssea
  • produção de glóbulos vermelhos

 

Influência no desejo sexual e na excitação

Estrogênio, progesterona e testosterona afetam o desejo sexual e a excitação sexual. Níveis mais altos de estrogênio promovem a lubrificação vaginal e aumenta o desejo sexual. Já maiores níveis de progesterona podem reduzir o desejo sexual.

Baixos níveis de testosterona podem levar à redução do desejo sexual em algumas mulheres.

 

Desequilíbrio hormonal

Mulher de meia idade cansada, com os olhos fechados, apoiada sobre uma das mãos no rosto

O equilíbrio hormonal é importante para a saúde em geral. Embora os níveis hormonais flutuem regularmente, os desequilíbrios a longo prazo podem levar a muitos sintomas.

Sinais e sintomas de desequilíbrios hormonais podem incluir:

  • Períodos irregulares
  • Excesso de pêlos faciais e corporais
  • Acne
  • secura vaginal
  • Baixo desejo sexual
  • Mastalgia
  • Problemas gastrointestinais
  • Ondas de calor
  • Suor noturno
  • Ganho de peso
  • Fadiga
  • Irritabilidade e alterações de humor irregulares
  • Ansiedade
  • Depressão
  • Dificuldade para dormir

Os desequilíbrios hormonais podem ser um sinal de uma condição de saúde subjacente. Além disso, alguns medicamentos podem causar efeitos colaterais que incluem a flutuação hormonal.

Por esse motivo, as mulheres que apresentam sintomas graves ou recorrentes de desequilíbrio hormonal devem procurar ajuda médica.

Nas mulheres, as causas potenciais de desequilíbrio hormonal incluem:

  • Síndrome dos ovários policísticos
  • Insuficiência ovariana primária
  • Controle de natalidade hormonal
  • Terapia de reposição hormonal
  • Excesso de peso corporal
  • Cancro do ovário
  • Estresse

 

Mantendo o desejo

Casal de meia idade: Mulher sorrindo deitada sobre o homem

Embora a queda dos hormônios femininos possa levar à perda do desejo sexual, à dificuldade de se excitar e à incapacidade de atingir o orgasmo, essas mudanças não acontecem com todas as mulheres quando mais velhas.

Ao apresentar dificuldades com o desejo ou a função sexual por longo período de tempo, pode ser necessário que a mulher recorra a tratamentos que podem ajudá-la a permanecer sexualmente ativa.

As opções de tratamento hormonal para disfunção sexual feminina incluem:

  • Terapia de estrogênio: A terapia com hormônio estrogênico pode ajudar a aliviar sintomas como a secura vaginal. Para muitas mulheres, a terapia com estrogênio pode tornar o sexo mais confortável e agradável. No entanto, uma vez que a terapia com estrogênio está associada a maior risco de câncer de endométrio, recomenda-se que as pacientes façam uso da progesterona em conjunto com o estrogênio, para reduzir o risco.
  • Estrogênio tópico: Outra maneira de fornecer estrogênio ao organismo é através dos cremes vaginais de estrogênio. Acredita-se que esses cremes aumentem a lubrificação vaginal e a excitação sexual em mulheres na pós-menopausa.
  • Terapia de testosterona: Muitos estudos analisaram o uso da suplementação de testosterona para ajudar a melhorar o desejo sexual em mulheres com disfunção sexual feminina. Pesquisadores descobriram que a terapia com testosterona pode melhorar o desejo sexual em mulheres na pós-menopausa que têm problemas com desejo e a satisfação sexual.

Como esses tratamentos apresentam riscos, discuta totalmente os prós e contras de cada opção com seu médico. Em alguns casos, mudanças simples no estilo de vida, como o controle do estresse e a obtenção de sono e exercícios adequados, podem restaurar o desejo sexual sem os riscos das terapias hormonais.

Além disso, a terapia sexual pode ser uma excelente opção para tratar outros fatores que envolvem o desejo sexual e o relacionamento do casal.

A terapia sexual foi idealizada para ajudar indivíduos e casais a abordarem fatores médicos, psicológicos, pessoais ou interpessoais que afetam a satisfação sexual.

O objetivo da terapia sexual é ajudar as pessoas a superar os desafios físicos e emocionais que o impedem de ter uma vida sexual prazerosa.

Saiba mais sobre a Terapia Sexual pelo telefone: (31) 3097-1308

Para ter acesso a mais conteúdos sobre Sexologia e Urologia, me acompanhe nas redes sociais: @doutormax

0 respostas

Deixe uma resposta

Participe da discussão.
Fique a vontade para contribuir!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *