Perda de libido: Fatores que podem influenciar a falta do desejo sexual

A libido (desejo sexual) é algo natural que faz parte do instinto do ser humano, mas que infelizmente pode ser afetada por questões físicas e emocionais.

Em consequência desses fatores, muitas pessoas podem ver sua libido aumentar ou diminuir no transcorrer de suas vidas.

O que é a perda de libido?

A perda de libido significa, basicamente, a perda de desejo/impulso sexual. Podendo representar um problema passageiro ou duradouro, dependendo das razões que a originaram.

Nas mulheres, a falta ou diminuição do desejo sexual representam 48,5% dos atendimentos médicos para o tratamento de disfunções sexuais. Os dados são de um levantamento realizado pela Secretaria de Estado da Saúde de São Paulo, em 2013.

Muitas razões podem ser responsáveis pela perda ou diminuição da libido como o desequilíbrio hormonal, efeitos colaterais medicamentosos ou até mesmo problemas de ordem emocional. Cansaço, autoestima baixa, depressão e ansiedade podem estar diretamente ligados ao desinteresse sexual.

No caso de mulheres mais velhas, a perda da libido pode estar associada a uma progressiva diminuição dos hormônios androgênios, por conta da fase de transição à menopausa. Nesta fase da vida, os níveis hormonais femininos podem sofrer uma queda de até 30% quando comparados aos níveis de quando a mulher tinha 20 anos de idade.

Nos homens, o impulso sexual pode variar e minimizar temporariamente por condições como a fadiga ou ansiedade. O envelhecimento natural também pode diminuir gradualmente o desejo sexual.

Fatores psicológicos, uso de medicamentos e diminuição de hormônios como a testosterona, por exemplo, também podem estar relacionados ao problema.

Quando a perda de libido se torna persistente, a vida a dois pode ser comprometida.

Causas da perda de libido

Geralmente a oscilação hormonal é responsável pela diminuição do desejo sexual, entre homens e mulheres (testosterona/estrogênio). No entanto, outras razões também podem ser apontadas como:

  • Problemas afetivos na relação do casal;

  • Depressão, estresse e ansiedade;

  • Dores durante as relações sexuais;

  • Uso de pílula anticoncepcional;

  • Uso de medicamentos antidepressivos;

  • Traumas emocionais;

  • Enfermidades, tais como: anemias, cirrose e hipotireoidismo;

  • Impotência sexual;

  • Menopausa.

Tratamento para os homens

Primeiramente, o homem deve descobrir a causa da perda de libido. A partir deste diagnóstico é que poderá fazer um tratamento adequado.

Nos casos em que forem afetados por questões psicológicas, terapias comportamentais podem ser uma excelente alternativa.

Se o problema estiver relacionado aos níveis hormonais, pode ser realizado a suplementação hormonal, em adesivo, gel ou injeção.

Já abordei sobre esse assunto na matéria: A falta de desejo sexual também acomete os homens.

Tratamento para as mulheres

As questões físicas e emocionais vividas pelas mulheres são fatores determinantes para o aumento ou diminuição do desejo sexual.

Uma rotina de vida estressante, cansativa e com momentos de tensão interferem muito nos impulsos sexuais femininos. Mulheres que enfrentam a menopausa ou tem problemas conjugais, podem sofrer com a diminuição do desejo em maior ou menor intensidade.

Como tratamento, pode ser recomendado a prática regular de exercícios físicos, que auxilia na disposição e na autoestima feminina.

Além disso, os exercícios físicos podem ajudar na lubrificação e na irrigação dos genitais.

Os chamados “alimentos afrodisíacos”, apesar de não ter comprovação científica, também podem ser uma opção. Pimenta, açafrão, gengibre e ginseng são exemplos de alimentos que beneficiam a produção hormonal, melhoram a circulação sanguínea e favorecem nas relações sexuais.

Outra questão muito importante e necessária, é que as mulheres conheçam o seu próprio corpo. Muitas mulheres não relatam aos seus parceiros as dificuldades enfrentadas para sentirem prazer e isso acaba prejudicando a vida a dois e intensifica a perda do desejo sexual.

A vilã da libido

Estudos demonstram que 40% dos casos de perda de libido estão relacionados a processos depressivos.

Um mal que acomete homens e mulheres, e que interfere significativamente nos impulsos sexuais.

Diante de um quadro depressivo, um médico deve ser consultado para que o mesmo possa fazer indicações de abordagens que estejam de acordo com cada caso.

Aumente o seu desejo sexual

Além dos tratamentos para questões psicológicas, existem alternativas que podem auxiliar no aumento do envolvimento sexual:

  • Alimentação: O consumo de alimentos mais saudáveis e principalmente daqueles que possibilitam um aumento da circulação sanguínea, proporcionam um estímulo maior da libido.  Exemplo: sementes de chia e atum.

  • Prática de exercícios físicos: A prática de atividades físicas faz muito bem para o corpo, pois além de possibilitar um gasto calórico, proporciona uma sensação de bem-estar, fruto da endorfina, melhorando também a circulação sanguínea e a autoestima.

  • Diálogo: Esteja sempre disposto a dialogar com seu parceiro (a). Busquem alternativas para recuperarem a vontade de ter relações sexuais, mudem a rotina e experimentem coisas novas.

É importante que diante do problema da perda de libido, os pacientes se informem e busquem atendimento. O correto diagnóstico e tratamento podem garantir melhoria significativa no aproveitamento da vida sexual.

0 respostas

Deixe uma resposta

Participe da discussão.
Fique a vontade para contribuir!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *