O prazer, o sexo e seus benefícios

O Doutor Max explica essa relação na entrevista abaixo

O sexo é um remédio natural, sem contraindicações, já que pode trazer muitos benefícios para o casal e para a relação. E embora cada um tenha suas expectativas individuais, quando existe uma sintonia, um comum acordo, ele pode ser mais prazeroso tanto para os homens quanto para as mulheres.

Entenda mais sobre o assunto na entrevista abaixo, concedida pelo terapeuta sexual e médico Maxmillan Alkimim Dutra:

Por que o sexo traz prazer?

Porque promove uma sensação de bem-estar, mexe com a autoestima, reequilibra e descarrega as tensões. Também promove mais confiança em si mesmo, aproxima o casal, faz com que o indivíduo se sinta amado, desejado e mais íntimo do parceiro.

Quais são os principais benefícios gerados pelo sexo?

Além de ativar a circulação sanguínea, o que deixa a pele e as mucosas mais nutridas, a relação sexual libera endorfina, o que traz uma sensação de bem-estar e, consequentemente contribui para melhorar o humor e reduzir o estresse. O sexo também ajuda a perder calorias, a reduzir o estresse, a dormir melhor, traz disposição e deixa a pessoa mais atraente para o parceiro, devido à liberação do feromônio.

O que a falta de sexo pode causar?

Pode trazer problemas de baixa autoestima, sensação de rejeição, irritação, falta de concentração, instabilidade emocional, depressão, frustração e outros. Fisicamente, podem surgir problemas psicossomáticos, como dor de cabeça, dor de estômago, hipertensão e outros. E como o passar do tempo, pode acabar com a relação entre o casal.

Como recuperar o desejo sexual entre os parceiros? E como reativar o sexo entre o casal?

O primeiro passo é a pessoa identificar que precisa de ajuda e o seguinte é buscar auxílio de um médico (urologista ou ginecologista) ou de um terapeuta sexual. Esses profissionais serão capazes de avaliar se a pessoa ou o casal estão com problemas físicos, ou se a causa é emocional. A partir disso, o tratamento ideal será recomendado. A partir do momento em que o indivíduo ou o casal iniciar o tratamento, será possível se pensar na “reativação” da intimidade.

0 respostas

Deixe uma resposta

Participe da discussão.
Fique a vontade para contribuir!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *