Sexo e diabetes

Qual a relação entre diabetes e problemas sexuais?

Entenda como o diabetes pode estar conectado com os problemas de bexiga e sexuais

Problemas sexuais e de controle da bexiga são algumas das queixas mais comuns à medida que as pessoas envelhecem, mas uma outra condição como o diabetes pode piorar ainda mais esses problemas. Essa doença crônica pode prejudicar o desempenho sexual e até provocar ou piorar os vazamentos de urina.

Os vasos sanguíneos e os nervos também podem ser danificados pelos efeitos da alta concentração de glicose, popularmente chamada de açúcar no sangue, que consequentemente leva a problemas.

Manter os níveis de glicose controlados é uma maneira importante de evitar danos aos vasos sanguíneos e nervos.

A seguir, separei algumas dicas e informações para ajudar a prevenir e a identificar esses problemas. No entanto, é muito importante buscar auxílio médico para fazer o diagnóstico.

Lembre-se que ter uma vida sexual saudável e um organismo em pleno funcionamento é muito importante, pois ambos compõem uma parte vital da qualidade de vida. Portanto, cuide-se já!

 

Leia também:

O que você deveria saber sobre o Câncer de Próstata

Como tratar anorgasmia?

Vasectomia diminui o desejo sexual?

 

 

Problemas na bexiga e dificuldades sexuais podem ser sintomas do diabetes?

Sim. Alterações na função sexual ou no funcionamento da bexiga podem ser um sinal de que você tem diabetes. Os danos nos nervos causados ​​por essa doença, também chamados de neuropatia diabética, podem danificar o organismo – como os órgãos genitais ou o trato urinário. Por exemplo, homens com diabetes podem desenvolver disfunção erétil (DE) 10 a 15 anos antes que homens saudáveis.

Converse com um profissional de saúde se tiver algum sintoma de diabetes, incluindo problemas sexuais e da bexiga.

Explico mais sobre incontinência no post: O que é Incontinência Urinária e como ela pode afetar sua vida?

 

Quando devo consultar um médico sobre esses problemas?

Assim que notar alguma alteração em seus padrões de micção ou sexuais, consulte um profissional de saúde. Esses problemas podem ser um sinal de que você precisa gerenciar melhor o diabetes.

Você pode achar embaraçoso e difícil ter que falar sobre essas coisas, no entanto, lembre-se de que médicos são treinados para falar sobre todos os tipos de problemas de saúde. Todo mundo merece ter relacionamentos saudáveis ​​e desfrutar das atividades que ama.

 

O que me torna mais propenso a desenvolver problemas sexuais ou da bexiga?

É mais provável que você desenvolva problemas sexuais ou da bexiga se além do diabetes você também tiver:

  • Alta concentração de glicose no sangue
  • Danos nervosos, também chamados de neuropatia
  • Hipertensão descontrolada
  • Colesterol alto
  • Sobrepeso ou obesidade
  • Sedentarismo
  • Tabagismo

Além disso, algumas pesquisas sugerem que as presenças de determinados genes podem influenciar as chances de os indivíduos desenvolverem neuropatia diabética.

 

Que problemas sexuais os homens com diabetes podem ter?

Ter diabetes não significa que você não possa ter uma boa vida sexual e filhos saudáveis. No entanto, é necessária uma vigilância constante dos níveis de glicose.

Alguns dos problemas sexuais mais comuns são:

 

Disfunção erétil

A DE é caracterizada pela dificuldade de ter ou manter uma ereção firme o suficiente para ter uma relação sexual satisfatória. Mais da metade dos homens com diabetes desenvolvem Disfunção Erétil.

Entretanto, isso não significa o fim da sua vida sexual. O bom gerenciamento do diabetes realizado por um especialista pode ajudar a prevenir e tratar a DE.

 

Ejaculação retrógrada

Embora ocorra raramente, é possível que a diabetes influencie o surgimento da ejaculação retrógrada (quando parte ou todo o sêmen volta em direção a bexiga em vez de ser eliminado através do pênis durante a ejaculação).

Durante a ejaculação retrógrada, o sêmen entra na bexiga e se mistura com a urina. Uma amostra de urina após a ejaculação pode detectar se o paciente está sofrendo com ejaculação retrógrada.

 

Curvatura peniana

Homens com diabetes têm maior probabilidade de ter a doença de Peyronie, também chamada de curvatura peniana. Homens com doença de Peyronie desenvolvem um tecido cicatricial chamado placa no pênis, tornando-o curvo quando ereto. Curva no pênis podem tornar a relação sexual dolorosa ou difícil. Alguns homens com doença de Peyronie também podem ter Disfunção Erétil.

 

Baixa testosterona

Conforme o homem envelhece, seus níveis de testosterona naturalmente diminuem no organismo, causando em alguns casos, problemas como a Disfunção Erétil e a queda da libido.

Homens com diabetes, especialmente os mais idosos e com excesso de peso, podem ter níveis ainda mais baixos de testosterona.

Vários estudos mostram que, em conjunto com o tratamento do diabetes, a terapia de reposição de testosterona pode diminuir os problemas sexuais do paciente. Para isso, é preciso buscar a opinião de um urologista.

 

Quais problemas sexuais as mulheres com diabetes podem ter?

Queda da libido e baixa resposta sexual, secura vaginal e dor durante o sexo são alguns dos problemas causados pelo diabetes, além da redução do fluxo sanguíneo para os órgãos genitais e alterações hormonais.

Além disso, mulheres com diabetes têm maior probabilidade de sofrer infecções, como candidíase, cistite e infecções do trato urinário. Tudo isso pode afetar a capacidade de ter ou desfrutar de relações sexuais.

Outras condições também podem causar esses problemas, incluindo a menopausa. Por isso, se você notar uma mudança na sua vida sexual, converse com o seu médico.

Uma avaliação física, que incluirá um exame pélvico, exames de sangue e de urina podem ajudar a determinar a causa dos problemas.

 

Dicas para melhorar o sexo apesar do diabetes

Ter um estilo de vida saudável é uma forma de incentivar a melhoria do bem-estar e da saúde sexual, tanto para homens quanto para mulheres diagnosticadas com diabetes. Algumas das recomendações mais importantes são:

  • Manter uma dieta saudável
  • Fazer exercícios regularmente
  • Manter o peso

Essas práticas são excelentes para manter a saúde em bom estado e ainda ajudam a promover a autoestima.

 

Quando consultar um médico

De acordo com um estudo publicado na edição de setembro de 2010 da revista Diabetes Care, apenas 19% das mulheres e 47% dos homens com diabetes discutiram sua saúde sexual com seus médicos.

No entanto, problemas de saúde sexual não são inevitáveis ​​com o diabetes. O estudo também descobriu que um número significativo de homens e mulheres diagnosticados com a doença, com idades entre 57 e 85 anos, praticava atividade sexual 2 a 3 vezes por semana. Ou seja, diabetes não significa o fim da vida sexual!

Pacientes que tenham preocupações ou dúvidas sobre sua saúde sexual devem entrar em contato com o endocrinologista, urologista e até mesmo um especialista em saúde sexual.

Algumas perguntas que podem ser interessantes fazer são:

  • O que preciso saber para gerenciar melhor o diabetes?
  • Que outros problemas de saúde eu tenho que podem afetar minha saúde sexual?
  • Quais medicamentos estou tomando e que podem afetar minha vida sexual?

Também pode ser de extrema ajuda contar com o apoio de um terapeuta sexual, para compreender melhor seus desejos, anseios e ajudar a autoestima de uma forma em geral. A terapia para casal também pode ser benéfica.

 

Busque uma perspectiva diferente

Quaisquer que sejam as decisões de tratamento, o paciente nunca deve sentir medo ou vergonha de o diabetes afetar sua função sexual.

Consultar um profissional de saúde confiável e abrir uma discussão sincera e honesta com o parceiro (a) podem ser os primeiros passos para uma vida mais saudável em os sentidos, principalmente no sexo.

Para marcar uma consulta, ser avaliado ou conversar sobre suas dificuldades sexuais, ligue para: (31) 3097-1308 ou entre em contato pelo e-mail: contatodrmax@gmail.com

Para ficar por dentro do conteúdo de urologia e sexologia, me acompanhe nas redes sociais: @doutormax

 

0 respostas

Deixe uma resposta

Participe da discussão.
Fique a vontade para contribuir!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *