Sabotagem da vida sexual

Será que você está sabotando sua vida sexual?

O contato físico e a intimidade não só ajudam o casal a se manter conectado de maneira significativa, como também aumentam a sensação de bem-estar e jovialidade.

Jovem casal triste

Imagine você e seu parceiro sentados juntos na praia. Enquanto o luar flui no horizonte, vocês tocam as mãos um do outro. Riem juntos, observando a espuma do mar se aproximar e recuar.

Isso soa como um dia comum? Para a maioria de nós, o estresse no trabalho, longos períodos no trânsito, faxinas e todas as exigências da vida cotidiana representam desafios para o desejo e a relação entre o casal.

É preciso um certo tipo de dedicação, trabalho e compreensão para unir os parceiros, tanto dentro quanto fora do quarto.

Pesquisas confirmam que uma boa vida sexual é a chave para fortes sentimentos de intimidade e satisfação para ambos os parceiros em um relacionamento.

No entanto, para muitos, o sexo fica deixado de lado, muitas vezes por causa das exigências da vida, desde o chefe no escritório até as crianças em casa. Responsabilidades podem fazer com que as pessoas se sintam esgotadas e ansiosas apenas por um banho e um bom descanso no final do dia.

 

Desejo feminino

Jovem mulher negra sorrindo

Cerca de 10% das mulheres não sentem desejo sexual nem conseguem ficar excitadas. Quando falamos de mulheres com idade em torno dos 60, essa proporção pode chegar a 20%. Para esse problema dá-se o nome de Transtorno do Desejo Sexual Hipoativo ou Transtorno do Interesse/ Excitação sexual feminino, que deve ser tratado junto a um especialista.

No entanto, o menor desejo sexual não necessariamente significa uma disfunção sexual. As mulheres são bastante diferente dos homens no aspecto sexual, e seus níveis de excitação podem variar.

Atualmente na ciência, existem dois tipos de desejo feminino: o espontâneo e o responsivo.

O espontâneo surge na mulher independentemente do contato sexual, como aquela mulher que tem um pensamento erótico e se masturba ou que ao olhar para o parceiro ou parceira pode ter vontade de transar (frequente em relacionamentos novos).

Já o desejo responsivo é quando a excitação surge a partir do momento em que a mulher começa a ser estimulada. Ou seja, ela está tranquila, mas com um beijo mais quente ou preliminares ela quer, sim, fazer sexo.

 

Fatores que sabotam o desejo sexual

Jovem casal triste sentado na cama

1.Tabagismo

Um dos fatores que comprometem o desejo e a vida sexual de um casal é o tabagismo. Como já mencionei outras vezes, os efeitos do cigarro afetam as artérias do pênis e contribuem para as dificuldades de ereção. Além disso, fumantes costumam ter menos fôlego, o que prejudica a disposição para o sexo.

2.Sedentarismo

A performance sexual também pode ser afetada devido a outro fator: o sedentarismo. Se a pessoa não tem o hábito ou o costume de fazer atividades físicas, provavelmente deve se sentir mais cansada na hora H. O preparo físico pode fazer grande diferença.

3.Insegurança

No que diz respeito ao comportamento, um fator que costuma interferir na qualidade do sexo é a insegurança que algumas pessoas têm em relação ao próprio corpo.

Se o parceiro não está em sua melhor forma, apresenta excesso de peso ou não está feliz com a sua autoimagem, isso não deve se tornar um empecilho para uma vida sexual plena.

É preciso que a pessoa aceite seu próprio corpo, e também veja suas qualidades.

O parceiro pode ter um papel importante nisso, ao demonstrar seu amor e companheirismo e ressaltar a importância do relacionamento para ambos.

A falta de diálogo com o companheiro também é um problema. É preciso ter abertura para os dois conversarem e compartilharem preferências e fantasias. Muitas vezes, é de uma simples conversa que surge o desejo que leva o casal a uma noite de prazer inesquecível.

O que fazer para não sabotar o desejo sexual?

Casal feliz sorrindo enquanto beijam-se

1.Concentre-se em ter um ‘tempo sozinho’

Os especialistas alertam que a intimidade e o contato físico não devem ser sacrificados, porque não apenas ajudam a se manter conectado ao parceiro, quanto faz com que se sinta mais vivo e jovem.

Comece cuidando de si mesmo – sua saúde tem um papel muito importante e direto em sua vida sexual. Se você trabalha fora de casa, deixe o trabalho no escritório. Não sabote o desejo sexual se preocupando com o trabalho a noite toda.

Resista ao pensamento antiquado de que, uma vez que você é pai, você não é mais um ser sexual. Defina a hora de dormir para os seus filhos e certifique-se de que eles são cumpridos para que você e seu parceiro possam ter um “tempo sozinhos”.

2.Faça mudanças no estilo de vida

Desconecte-se de seus computadores, celulares e outros gadgets no início da noite para que você possa se concentrar no tempo de qualidade que passa com seu parceiro, mesmo que nem sempre leve ao sexo. Resista à tentação de verificar o seu e-mail de trabalho antes de dormir – a maioria dos problemas pode esperar até de manhã.

Se a sua vida sexual precisa de um “UP”, considere uma escapada romântica. Quando as responsabilidades são deixadas um pouco de lado, as pessoas se sentem mais relaxadas e livres para desfrutar do romance.

Obviamente não é possível estar de férias o tempo todo, porém, mantenha esse sentimento de intimidade que você compartilhou durante esses momentos em sua mente quando for para casa, e use-os como um trampolim para fazer mudanças no estilo de vida que o manterão mais próximos e conectados como um casal.

3.Procure ajuda de um especialista

Por isso, é importante avaliar a situação e procurar auxílio de um especialista para determinar a existência de um problema sexual ou um conflito no relacionamento.

É importante buscar ajuda de um especialista, como o terapeuta sexual, para casos em que existam problemas emocionais ou mágoas, responsáveis por pressionar o relacionamento.

A comunicação entre o casal é fundamental para que ambos se sentam seguros e confiantes em aproveitar a relação sexual ao máximo.

Terapia Sexual auxilia o casal a desfrutar de maior intimidade na cama, proporcionando uma conversa mais natural e sem julgamentos sobre o sexo.

Entre em contato e saiba mais sobre a Terapia Sexual: (31) 3097 1308 ou pelo site www.doutormax.com.br

Acompanhe os conteúdos sobre urologia e sexologia em minhas redes sociais: @doutormax

 

Curiosidade: Sexo pode ser pior aos 30 e melhor aos 50 anos

Uma pesquisa divulgada no jornal britânico Daily Mail mostrou que homens e mulheres em torno dos 30 anos estão mais insatisfeitos com sua vida sexual do que nas outras faixas etárias. A justificativa é o excesso de trabalho, estresse e o tempo gasto com os filhos. Por outro lado, entre as pessoas acima dos 50 anos a conclusão foi a de que o sexo melhora.

Por isso, não se deixe levar pela frustração ou pelo medo, acredite que o desejo sexual pode e deve variar com a vida: Esteja pronto para aproveitá-lo.

0 respostas

Deixe uma resposta

Participe da discussão.
Fique a vontade para contribuir!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *