Por que é importante ter uma vida sexual saudável?

Conheça os benefícios de ter uma vida sexual ativa e saudável

A sexualidade não apenas nos permite nos reproduzir, mas está intimamente ligada à possibilidade de nos relacionarmos emocionalmente com outros indivíduos e com a capacidade de nos conectarmos a alguém de modo saudável.

A Associação Americana de Saúde Sexual (ASHA) define a saúde sexual como a capacidade de aceitar e desfrutar de nossa sexualidade ao longo de nossas vidas e a considera uma parte importante de nossa saúde física e emocional.

              Leia também:

                – 7 Curiosidades sobre o sexo ao redor do mundo

                – Benefícios do sexo para a saúde

                – 7 Dicas poderosas para melhorar sua performance sexual

A sexualidade é representada ao longo de nossas vidas de diferentes maneiras, variando de sexo à reprodução, através de diferentes prazeres, orientações sexuais e relações interpessoais.

É algo íntimo de cada indivíduo, então terá uma conotação diferente de acordo com o nosso gênero, cultura, identidade e orientação sexual, etc. Isso faz com que cada um seja capaz de se identificar pessoalmente com sua própria sexualidade.

 

Benefícios de uma vida sexual saudável

Ter uma vida sexual plena e ativa garante uma série de benefícios fisiológicos e psíquicos. Desta forma, o sexo aumenta os níveis de testosterona, de massa muscular, garante mais energia e vitalidade, assim como também maior funcionamento cognitivo.

Sua prática também contribui na redução dos níveis de estresse, alivio de dores, facilita o sono, combate a depressão, fortalece os vasos sanguíneos e estimula o sistema imunológico. Dentre outros:

  1. Melhora a saúde do coração: fazer sexo duas ou mais vezes na semana reduz o risco de ter um ataque cardíaco, o que foi comprovado em um estudo feito na Inglaterra e publicado na Revista de Epidemiologia e Saúde Comunitária.

  2. Queima calorias: em 30 minutos de sexo a pessoa pode chegar a queimar 85 calorias ou até mais dependendo do organismo.

  3. Reduz o risco de câncer de próstata: pesquisas apontam que ejacular com frequência diminui o risco de desenvolver câncer de próstata.

  4. Melhora a musculatura pélvica: um ritmo constante de relações sexuais ajuda a trabalhar a musculatura do períneo.

No plano psíquico, basta observar que, durante as relações sexuais são liberadas endorfinas e serotonina, alguns hormônios que causam a sensação de bem-estar e otimismo, e pode representar uma espécie de ‘rampa’ para aumentar a autoestima.

 

A periodicidade das relações sexuais

Segundo estudo realizado nos Estados Unidos com mais de 50 mil entrevistados, 40% das pessoas fazem sexo de uma a três vezes na semana.

Outros 28% dos entrevistados, alegou ter relações sexuais de uma a duas vezes por mês, enquanto que 18% disseram não ter feito sexo no ano inteiro anterior à pesquisa.

Mesmo que a frequência das relações sexuais costume sofrer uma queda maior em função do fator idade, um estudo realizado pela Universidade de Chicago e Toronto mostrou que os índices não são tão baixos assim: 50% dos idosos com 70 anos em média, faz sexo duas vezes ao mês.

Algo importante que deve ser destacado é a importância das pessoas não fingirem orgasmos durantes as relações sexuais.

Embora o senso comum aponte as mulheres como o grupo que consegue fingir a chegada ao clímax, os homens também simulam orgasmos em algum momento das atividades sexuais, enquanto que metade das mulheres confessa fazer isso com frequência.

 

Hábitos sexuais saudáveis

É importante entender que, somos pessoas sexuadas desde o nascimento até morrermos, e que isso é algo que nos acompanha ao longo de todas as fases da nossa vida e que não podemos negligenciar.

Estes são alguns dos mais importantes hábitos sexuais saudáveis a serem considerados:

  • As relações sexuais vão além do aspecto genital, contribuem com todo o corpo em sua totalidade, com grandes possibilidades de prazer.

  • A relação sexual não se concentra apenas na técnica de penetração, todo o conjunto contribui para a experiência sexual.

  • É preciso dedicar mais tempo aos encontros sexuais, sempre de maneira paciente e global.

  • Diminuir as expectativas: é preciso relaxar e sentir todas as sensações do momento.

  • Respeito e empatia: não forçar relacionamentos, comunicar e compreender os desejos da outra pessoa.

  • Para que a excitação ocorra, deve haver desejo e estímulo adequado, isso permitirá que a concentração e o prazer se desenvolvam através de todos os nossos sentidos.

  • Ter liberdade para pedir e manifestar desejos, sem vergonha ou medos.

  • Não aceitar imposições: cada indivíduo vive seu encontro sexual de acordo com a individualidade de sua sexualidade.

No âmbito da sexualidade, não é possível estabelecer padrões sobre o que “normal”, ou seja, o sexo só deve ser repreendido quando é fonte de constrangimento para alguma das partes envolvidas, e interfere negativamente em algum aspecto da vida.

O encontro sexual que prejudica o prazer e causa dor, desconforto ou constrangimento pessoal, não é saudável. A regra de ouro do sexo é: dar e receber prazer.

A sexualidade saudável promove o bem estar pessoal, físico, psicológico e emocional.

Em muitos casos, os problemas sexuais decorrem de problemas de relacionamento, que geram emoções prejudiciais ao funcionamento fisiológico do sexo, e por consequência, afetam o desempenho sexual.

Ao notar a existência de problemas com esses, pode ser muito valioso contar com a ajuda da Terapia Sexual, muito eficiente em ajudar casais em crise.

As sessões auxiliam o casal a refletir sobre o relacionamento em geral, bem como sobre a sexualidade, os ajudando a desfrutar de maior intimidade na cama, e proporcionando uma conversa mais natural e sem julgamentos sobre o sobre o sexo.

Para saber sobre a terapia sexual ou receber aconselhamento médico, ligue e agende sua avaliação.

0 respostas

Deixe uma resposta

Participe da discussão.
Fique a vontade para contribuir!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *