Pessoas menos estressadas são mais felizes

É ingenuidade pensar que devemos estar sempre sorrindo. Conceitos como satisfação, objetivo e autoestima são complicados demais para serem reduzidos à simples pergunta “Você está feliz?”. Se ao menos houvesse algum tipo de máquina que pudesse nos dizer os níveis de felicidade em uma escala numerada, assim como há um aparelho para verificar a pressão arterial… Como seria útil!

Os pesquisadores não criaram a tal máquina, mas descobriram algo melhor: identificaram os comportamentos, o estilo de vida e os traços pessoais que mais contribuem para uma vida longa e para uma saúde duradoura.

Traços pessoais que contribuem para uma vida mais feliz

1. Resiliência em resposta às mudanças e aos desafios da vida

2. Vida social ativa e saudável

3. Habilidade para lidar com a depressão

4. Ter alguma forma de espiritualidade ou objetivo maior

5. Capacidade de neutralizar os estresses da vida diária

Definitivamente, pesquisas mostram que as pessoas que exercitam esses cinco traços são muito menos suscetíveis a doenças e problemas resultantes do envelhecimento. Melhor ainda, parece que estão mais satisfeitas, têm mais objetivos e são mais ativas. Não é surpresa que esses traços psicológicos positivos estejam enraizados nas culturas das pessoas que têm vida longa. Na ilha japonesa de Okinawa, maior concentração mundial de pessoas saudáveis e felizes acima dos 100 anos, as pessoas adotam uma filosofia de vida baseada no conceito “não se preocupe, seja feliz”. Essa filosofia de vida minimiza o estresse e protege as pessoas das emoções.

Cultura oriental pode ser a chave da felicidade

Os habitantes de Okinawa também praticam uma espiritualidade profunda, meditativa, que os une aos ancestrais, aos deuses e ao universo. Eles permanecem conectados com amigos, familiares e vizinhos. Lá, a vida se baseia no valor da assistência mútua. Amigos, colegas de trabalho ou vizinhos se encontram em grupos chamadosmoais, nos quais cada um coloca algum dinheiro em um pote, e aquele que precisar mais o leva para casa. Os okinawanos mais velhos têm orgulho do próprio status e são reverenciados pelas comunidades – algo que as culturas ocidentais deveriam imitar. Para eles, não existe a palavra “isolamento”.

Otimismo, resiliência, atividades sociais e fé fazem com que o hoje seja melhor. E, como foi revelado em Okinawa, também fazem com que você se torne mais propenso a aproveitar a vida durante muitos anos a partir de agora.

O ponto principal: se você pensa que ter uma vida saudável se aplica apenas à alimentação e a exercícios, está enganado. As atitudes cotidianas são tão importantes, a curto e a longo prazos, quanto qualquer outra coisa. Lembre-se: mudar é mais fácil do que você pensa, basta dar um passo pequeno de cada vez. É possível aprimorar os pensamentos, a vida social e o rumo que se quer seguir. O primeiro passo se resume em reunir coragem e convicção suficientes para dar o primeiro passo. O segundo virá muito mais facilmente.

0 respostas

Deixe uma resposta

Participe da discussão.
Fique a vontade para contribuir!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *