Mitos e verdades sobre Vasectomia

Vasectomia: Como funciona e é possível reverter?

Saiba como o procedimento é realizado, sua eficácia e se é possível voltar atrás da decisão

Muitos homens chegam ao consultório apavorados com a ideia do “corte”, mas a vasectomia é um procedimento bastante simples que se estabelece como uma excelente opção contraceptiva.

De acordo com dados do Sistema Único de Saúde (SUS), o número de vasectomias no Brasil cresceu mais de 300% entre 2001 e 2017, passando de 7,7 mil homens para 34 mil pacientes no período.

Muitos desses números refletem o começo de uma nova realidade social, na qual os homens passam a assumir novos papeis, como o cuidado doméstico e dos filhos.

Mas apesar de popular, essa cirurgia ainda dá o que falar nas rodas de conversas. Isso porque ainda existem muitos mitos que insistem em amedrontar o público masculino. Hoje vou falar sobre alguns deles.

 

Leia também:

– Vasectomia diminui o desejo sexual?

– Disfunção erétil: causas orgânicas ou emocionais?

– O que a cor do seu xixi diz sobre você?

 

Como funciona o procedimento?

O procedimento cirúrgico é relativamente simples e rápido, executado com anestesia local que não requer jejum pré-operatório. Basicamente, a vasectomia envolve a interrupção dos canais deferentes, que transportam o espermatozoide do saco escrotal para o líquido ejaculado.

A cirurgia é realizada em cima do escroto (saco), e impede que os espermatozoides viajem do testículo até as outras glândulas que produzem o esperma (líquido).

Após a vasectomia, a ejaculação permanece normal, no entanto, não haverá espermatozoides no liquido ejaculado, eliminando o risco de gravidez.

 

O procedimento

Geralmente, a cirurgia é realizada sob anestesia local e tem duração de 15 a 30 minutos.

No método “sem cortes”, uma única punção é feita através do escroto usando um equipamento especializado, que permite acessar os canais deferentes ​sem a necessidade de uma incisão. Esse método é minimamente invasivo, não requer pontos e resulta numa cicatrização mais rápida.

Já no método tradicional são realizadas de 1 a 2 pequenas incisões, necessárias para dar acesso aos canais. Através deles, o médico é capaz de executar o procedimento.

 

Prejudica a ereção?

Aqueles que têm medo de que a cirurgia possa afetar a função erétil, podem ficar tranquilos. O pênis pouco tem a ver com a vasectomia, e a região afetada (escroto) não interfere na ereção peniana.

Após a cirurgia, o homem pode retomar sua função sexual sem problema algum.

 

Qual o sucesso das vasectomias?

Geralmente as vasectomias são muito eficazes, com taxas de sucesso bem acima de 99% e com pouca ou quase nenhuma complicação à longo prazo.

As possíveis complicações da vasectomia estão relacionadas ao pós-operatório e podem ser tratadas a partir de medicamentos prescritos na alta hospitalar. Problemas como infecções e hematomas ocorrem em 1% a 2% dos casos, sendo um índice ainda menor na técnica “sem cortes”.

É importante ressaltar que as vasectomias só são totalmente eficazes após cerca de 3 meses, pois leva algum tempo para que os espermatozoides sejam completamente removidos dos vasos deferentes.

Portanto, é recomendável o uso de um método contraceptivo adicional após a cirurgia, pelo menos até que o médico solicite um novo espermograma (exame que analisa as condições físicas e composição do sêmen) e constate a segurança do sexo desprotegido.

 

É possível reverter a vasectomia?

Essa é a dúvida mais comum.

Muitos motivos podem levar um homem a querer reverter sua vasectomia, desde encontrar uma nova parceira ou descobrir tardiamente o desejo de ser pai.

Independente das razões, tecnicamente é possível reverter os efeitos da vasectomia, pois envolve reconectar os canais deferentes anteriormente desconectados.

Apesar do raciocínio simples, a cirurgia de reversão é mais complicada e precisa ser realizada em ambiente hospitalar, com anestesia troncular e com a utilização de material de microcirurgia.

É importante observar que, quanto maior a duração da vasectomia, menores as chances de uma reversão bem-sucedida e de uma futura gravidez.

Isso quer dizer que, apesar da boa execução, a taxa de sucesso da cirurgia pode variar conforme a idade do paciente e o tempo da cirurgia. Por exemplo: se o homem passou pelo procedimento há mais de 5 anos, a chance de sucesso da cirurgia de reversão é bem menor.

 

Mitos e verdades sobre a vasectomia:

Verdade

  • Cirurgia simples
  • Espermatozoides continuam sendo produzidos
  • É possível engravidar logo após a cirurgia
  • Ajuda no planejamento familiar
  • Há contraindicações

Mito

  • Homem fica impotente
  • Homem perde libido/desejo
  • Homem sente dores durante o sexo
  • O pênis diminui de tamanho
  • A cirurgia é arriscada
  • É como castração
  • Interfere na ejaculação
  • Afeta a masculinidade

 

Se você quer saber mais sobre a cirurgia de vasectomia, como qual a idade ideal e se é possível fazer no seu caso, agende uma consulta: (31) 3097-1308

Doutor Max recebe com frequência pacientes fazer a cirurgia de vasectomia. Atualmente, ele faz atendimento no Hospital da Unimed e Hospital das Clínicas da UFMG na especialidade de urologia, pela qual é Membro Titular da Sociedade Brasileira de Urologia (TiSBU).

Para ter acesso a mais conteúdos sobre Sexologia e Urologia, acompanhe nas redes sociais: @doutormax

0 respostas

Deixe uma resposta

Participe da discussão.
Fique a vontade para contribuir!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *