Fatores psicológicos podem levar a problemas de ereção

Para que possamos garantir qualidade de vida, precisamos manter uma vida equilibrada, e isso também diz respeito a uma vida sexual saudável.

Vivemos em uma era turbulenta, em que as pessoas são consumidas pelo dia a dia, pelo trabalho, pela rotina do lar e por casos de depressão e ansiedade. Esses fatores influenciam no bem-estar pessoal e consequentemente, na vida sexual de um homem.

Segundo pesquisas recentes, 30% do público masculino no Brasil, sofre dificuldade em estabelecer e manter uma ereção.

Já falei sobre isso no artigo: Como não “falhar” a hora H?

É comum pensarmos, diante destes dados, que esses casos devem estar relacionados a homens mais velhos, pois até bem pouco tempo, grande parte das disfunções sexuais atingiam este público específico e as causas estavam, quase sempre, relacionadas a fatores orgânicos.

No entanto, atualmente, os problemas de disfunção erétil estão aparecendo também no público mais jovem, que vem apresentando queixas frequentes de ejaculação precoce e falta de desejo sexual.

            Leia também:

              – Quais as causas da Ejaculação Precoce? Existe tratamento?

              – Perda da libido: Fatores que podem influenciar a falta de desejo sexual

O que pode prejudicar a ereção?

Grande parte dos fatores que podem afetar diretamente a vida sexual masculina e acarretar em problemas de ereção, são motivados por questões psicológicas.

Estresse, ansiedade e depressão são os primeiros de uma lista considerável de fatores causais para problemas de ereção.

Brasil é considerado o segundo país mais estressante do mundo e somamos isso a um número cada vez mais expressivo de pessoas que sofrem de depressão ansiedade.

Organização Mundial da Saúde (OMS) afirma que grande parte das disfunções sexuais masculinas decorrem de questões orgânicas, mas cerca de 20% dos casos detectados possuem um fundo psicológico determinante para a condição.

Ter dificuldades sexuais faz com que o homem enfrente problemas com a sua autoestima e interfere em suas relações interpessoais, gerando conflitos internos que potencializam distúrbio sexual.

Fatores psicológicos para problemas de ereção

Autoestima baixa: quando o homem não se sente satisfeito, a insegurança surge, e muitos pacientes passam a se cobrar demais, não aceitam suas dificuldades, e consequentemente, desenvolvem dúvidas sobre sua capacidade sexual, o que afeta diretamente suas relações sexuais e sua vida amorosa.

Ansiedade: a ansiedade tem relação direta com a ejaculação precoce e com problemas de ereção. Durante a relação, o homem pode chegar ao clímax muito rapidamente, ou até mesmo, não conseguir manter uma ereção e dar início à relação.

Depressão: esta enfermidade é um distúrbio psiquiátrico que também apresenta origens e consequências orgânicas. Pode reduzir a libido masculina e limitar o apetite sexual.

Estresse: homens com estresse em níveis crônicos, apresentam elevação no nível de cortisol e consequentemente, diminuição nos níveis de testosterona, principal hormônio sexual masculino. Dessa maneira, o apetite e o desempenho sexual são afetados.

Também cabe destacar que homens estressados tornam-se cansados e desmotivados, o que aumenta o desinteresse sexual.

Relações afetivas: O desejo sexual pode ser atingido por reflexos de problemas familiares ou conjugais.

Se a parceira (o) sexual não apresentar satisfação com o sexo, uma crise pode ser desencadeada por conta do alto nível de cobrança e crítica que a maioria dos homens desferem à si mesmos.

Logo, em muitos casos, é necessário combinar a sexualidade com a afetividade, pois assim, a relação sexual se torna mais satisfatória e transparente, no que diz respeito às necessidades sexuais do casal.

Timidez: homens muito tímidos são mais propensos a problemas de ereção, pois tendem a retrair o impulso sexual.

Receber uma educação repressora: dependendo do tipo de educação que o homem recebeu durante sua infância e adolescência, isso pode ser um fator determinante para os problemas de ereção masculina.

São inúmeros os casos de homens que receberam uma educação sexual repressora e repleta de tabus, o que faz com que não se abram para as relações sexuais, mantendo uma postura mais fechada que afeta diretamente o desempenho sexual.

Conflitos com a sexualidade: homens que enfrentam dúvidas sobre sua orientação sexual, também são acometidos por problemas de ereção na grande maioria dos muitos casos.

Tratamento

Independentemente dos fatores causais que determinam os problemas de ereção, é importante estar sempre atento aos sinais que envolvem a vida sexual masculina. Dessa forma, é possível identificá-los com maior agilidade e prosseguir para um tratamento eficiente.

É comum, que muitos homens não se sintam confortáveis em procurar ajuda profissional para intercorrências como essas, no entanto, é preciso entender que apenas o auxílio médico de um especialista poderá ajudar na resolução dos problemas (que não se resolverão sozinhos).

Como você pode ter percebido, problemas urológicos e psicológicos podem ser responsáveis por variações no desempenho sexual, e por isso, é tão importante contar com um diagnóstico célere e efetivo.

Logo, procurar um profissional de confiança especializado no assunto, que esteja apto a determinar as origens e esclarecer os tratamentos da melhor maneira possível, é o meio mais adequado de solucionar o problema.

Para o paciente que está em sofrimento por conta dos problemas de ereção, é importante recomendar calma e esclarecer que muito pode ser feito para solucionar a situação.

Saiba mais sobre os tratamentos ou faça uma avaliação.

0 respostas

Deixe uma resposta

Participe da discussão.
Fique a vontade para contribuir!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *