Fantasias Sexuais

Porque você deveria investir em Fantasias Sexuais?

Saiba o que são fantasias sexuais e como utilizá-las a favor do relacionamento

O termo “fantasia sexual” geralmente é associado a filmes sensuais como “50 Tons de Cinza”, com fetiches secretos, tabus, sexo com muitas pessoas e desejos sexuais diversos. Porém, as fantasias sexuais compõem uma área grande da sexualidade humana, podendo envolver desde pequenos desejos até grandes feitos.

A sexualidade saudável é uma combinação da expressão positiva dos desejos, pensamentos e necessidades sexuais que cada indivíduo possui.

 

Fantasia sexual no relacionamento

As fantasias sexuais devem compreender a individualidade dos parceiros, e não deve ser necessariamente pautada pelas vontades do outro ou das opiniões sociais.

Quando a construção do relacionamento permite que os parceiros expressem suas fantasias, há mais espaço para que ambos as explorem dentro de um ambiente seguro e confiável.

Além de prazeroso, isso pode criar uma conexão emocional ainda mais significativa, atingindo níveis mais intensos do relacionamento à medida que os laços de confiança se aprofundam.

Embora muitas pessoas fantasiem com colegas ou rostos desconhecidos, dados obtidos numa pesquisa realizada nos EUA mostraram que a maioria das pessoas fantasiam com rostos mais familiares: seus próprios parceiros. Na pesquisa, cerca 90% dos participantes disseram fantasiar com seu parceiro, e cerca de metade deles disseram fazê-lo sempre.

De acordo com a pesquisa publicada no periódico Personality and Social Psychology Bulletin, a descoberta é uma excelente notícia para os casais. Pesquisadores descobriram que fantasiar com o parceiro pode trazer muitos benefícios tangíveis para o relacionamento, pois ajuda a valorizar o parceiro e faz com que os indivíduos passem a investir mais tempo e energia na relação.

A expressão desinibida do desejo pessoal é o antídoto para a vergonha. A vergonha é a antítese da expressão sexual saudável. Quando sentimos vergonha, podemos ir a um espaço emocional interno, muitas vezes secreto e escuro, e onde é menos provável que tenhamos nossas necessidades emocionais satisfeitas de maneira saudável. A vergonha pode provocar um comportamento de auto sabotagem e perpetuar sentimentos negativos de si mesmo.

Por que temos fantasias sexuais?

As fantasias sexuais geram fascínio porque são imagens íntimas daquilo que é realmente excitante para um indivíduo, sem inibições causadas pelo socialmente correto. A possibilidade de obter uma descrição de como os homens e as mulheres são no erotismo os tornou objeto de estudo frequente.

Segundo o artigo Fantasias e Pensamentos Sexuais: Revisão Conceitual e Relação com a Saúde Sexual, de Nieves Moyano e Juan Carlos Sierra, pesquisadores da Universidade de Granada, sabemos que “a maioria das pessoas admite que inclui fantasias em sua atividade sexual”, durante a masturbação ou quando sonham acordadas”.

Os estudos e artigos que descrevem fantasias sexuais mais comuns, demonstram uma imensa diversidade de opções. Mas dentro dessa variedade existem algumas coincidências.

 

Fantasias sexuais femininas x masculinas

Em muitas culturas, “os homens indicam significativamente uma frequência maior de pensamentos e fantasias sexuais, em comparação com as mulheres”, afirmam Moyano e Sierra.

As fantasias dos homens, em comparação com as das mulheres, incluem mais variedade de práticas e mais encontros sexuais em grupos ou com estranhos. Nas delas há mais presença de temas íntimos e românticos, com menor número de casais. Fantasias de submissão tendem a ser mais frequentes em mulheres.

Veja abaixo quais são as fantasias mais comuns entre homens e mulheres, de acordo com uma pesquisa realizada pela Universidade de Montreal, no Canadá, que entrevistou mais de 1,5 mil pessoas com aproximadamente 30 anos para descobrir suas fantasias sexuais.

A importância das fantasias sexuais

As fantasias sexuais, portanto, não estão somente baseadas no contexto da sociedade, mas também na personalidade individual. Pessoas mais extrovertidas, curiosas e interessadas em experimentar coisas novas são aquelas que avaliam mais positivamente as fantasias. E as mais emocionalmente inseguras, que se preocupam excessivamente ou tendem a se sentir culpadas, tendem a avaliá-las mais como negativas.

Uma maior frequência de pensamentos sexuais positivos está relacionada com maior desejo sexual, melhor funcionamento e maior satisfação.

 

Não ter fantasias é normal?

Assim como existem pessoas com pouco ou nenhum desejo sexual, também existem aquelas que não possuem fantasias sexuais – casos raros.

No entanto, a ausência ou redução de fantasias eróticas de modo persistente é considerado um critério, entre outros, para diagnosticar se uma pessoa tem um transtorno sexual, também chamado de Disfunção Sexual, de acordo com o Manual Diagnóstico e Estatístico de Transtornos Mentais (DSM-5).

Um baixo desejo ou interesse sexual pode se tornar um distúrbio quando causa desconforto à própria pessoa e não tem uma causa significativa ou relação com medicação.

 

Fantasias em prática

E, depois das fantasias, surge a questão de colocá-las em prática ou não. “Se isso é algo que me excita, faço?”, pensam alguns.

Nancy Friday dá a resposta em seu livro Meu Jardim Secreto, quando diz que só a pessoa “sabe se levar a sua fantasia à prática enriquecerá ou não sua vida, mas nada garante que o que teve êxito no nível da imaginação também terá na realidade”.

 

Como melhor desfrutar da sua sexualidade?

Aconselhamento e terapia sexual podem ajudar o paciente a definir seus próprios limites sobre o que deseja em termos de desejo sexual, e ajudá-lo a negociar suas necessidades e vontades com seu parceiro.

Criar limites não deve ser visto como um sinal de sigilo ou desconfiança. O processo de criar seus próprios limites é uma expressão saudável do que faz o indivíduo se sentir seguro e confortável e quais expectativas ele tem sobre seu relacionamento.

A terapia também pode ser uma opção para explorar o comportamento, vontades, medos e até mesmo a vergonha, além de abordar áreas da vida que causam infelicidade. Algumas situações como a necessidade em agradar as pessoas, priorizar mais as necessidades dos outros, baixa autoestima, timidez, identidade sexual e medo do abandono, podem ser abordadas para trazer conforto e entendimento ao paciente.

Procure saber mais sobre Terapia Sexual e aconselhamento para o casal pelo telefone: (31) 3097-1308

Para ter acesso a mais conteúdos sobre Sexologia e Urologia, acompanhe nas redes sociais: @doutormax

0 respostas

Deixe uma resposta

Participe da discussão.
Fique a vontade para contribuir!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *