Entenda a relação entre trabalho e vida sexual

Como sua vida sexual afeta sua produtividade:

Sim, a qualidade da sua vida sexual pode impactar seus resultados no trabalho

Você também acha que naqueles dias em que você e seu parceiro discutem, as coisas também não vão bem no trabalho? Será que existe uma relação entre esses dois fatos?

Em busca de elucidar melhor essa questão e investigar o que pode afetar a produtividade das pessoas, a plataforma de saúde mental Avail a partir de uma pesquisa, descobriu que até 30% de todos os funcionários correm o risco de lidarem com desafios de saúde mental e emocional, por dia.

Como os relacionamentos conjugais constituem uma parte significativa da vida moderna, os problemas não resolvidos podem comprometer boa parte da nossa disponibilidade mental. Questões relacionadas à intimidade emocional, solidão e frustração sexual podem influenciar nossa sensação de bem-estar e motivação, tanto durante o trabalho quanto fora dele.

Já uma vida sexual bem resolvida pode fazer bem à saúde, inclusive um estudo recente realizado pela Universidade West of Scotland sugere que o sexo pode contribuir para a saúde do coração e reduzir o risco de câncer de próstata e mama, além de beneficiar a saúde mental ao afetar positivamente o humor.

Embora não seja apropriado perguntar aos colegas de trabalho sobre sua vida sexual, a discussão aberta e honesta desse tema poderia beneficiar muitas pessoas.

 

Leia também:

– Por que o sexo é tão importante nos relacionamentos?

– Por que o segredo para melhorar sua vida sexual está na sua cabeça?

– 4 Atitudes que podem acabar com o seu relacionamento

Trabalho x sexo

Uma pesquisa recente publicada no Journal of Management, monitorou 159 trabalhadores casados através de pesquisas diárias (manhã, tarde e noite). As perguntas eram sobre sua atividade sexual na noite anterior, seu humor e sua percepção de produtividade no trabalho.

Os resultados mostraram que os participantes que fizeram sexo no dia anterior, não estavam apenas de bom humor, mas também se sentiam mais satisfeitos e comprometidos com o trabalho.

A pesquisa também encontrou um fato alarmante: funcionários estressados ou infelizes no trabalho tinham sua vida sexual prejudicada, já que tinham menos probabilidade de fazer sexo naquele dia.

 

As relações estão diminuindo

Pesquisadores relatam que, nos Estados Unidos, o adulto considerado padrão fez nove vezes menos sexo há 10 anos do fazia há 30, ou seja, estamos vendo uma diminuição progressiva.  Parece que muitos casais estão minimizando a prioridade do sexo em seus relacionamentos, em grande parte, motivados pela preocupação econômica, já que empregam muita energia e tempo preocupados com o sustento familiar, a estabilidade no emprego e a criação dos filhos.

O artigo “Como o excesso de trabalho pode influenciar na saúde sexual masculina”, aborda a percepção masculina diante do assunto.

O estudo do psicólogo clínico David Schnarch com 20.000 casais, descobriu que apenas 26% estão fazendo sexo pelo menos uma vez por semana. Outros pesquisadores descobriram que essa prática gera casais mais felizes do que aqueles que fazem sexo com menos frequência.

 

Fazer ajustes no caminho

Quando as pessoas se casam, o sexo se torna uma constante na relação. No entanto, poucos realmente conversam sobre as expectativas em relação a ele: a forma como é feito, a frequência ou a hora do dia em que mais agrada.

Os motivos podem variar, mas a maioria das pessoas nunca foi levada a ter uma conversa aberta sobre sexo. Como resultado, muitos casais não falam sobre os benefícios que ele pode trazer para os seus relacionamentos.

Dessa forma, para ter uma vida sexual saudável, cada casal deve estar disposto a conversar e estar aberto um ao outro sobre suas necessidades e expectativas em relação ao sexo, concordar com seus benefícios ao relacionamento e ser motivado a manter ou melhorar sua vida sexual.

 

Fatos curiosos:

Aqueles que fazem sexo pelo menos uma vez por semana têm maior quantidade de anticorpos da imunoglobulina A, que promove a longevidade, do que aqueles que tem uma menor frequência sexual.

O envolvimento no sexo aumenta a produção de ocitocina (hormônio do amor), que libera endorfinas que influenciam a saúde mental e aumentam nosso sistema imunológico. Também tem ação analgésica.

 

Como trazer a vida sexual para o caminho certo?

Converse:

É preciso trazer a conversa sobre a vida sexual para dentro do relacionamento, e discuti-la de forma saudável, como prioridade – alguns casais se acostumaram a não falar sobre isso porque perderam o rumo e, talvez, a confiança.

Trazer a vida sexual de volta aos trilhos ou melhorar sua condição pode começar por uma conversa madura e sem julgamentos, que pode ser iniciada com uma pergunta simples: “Será que estamos satisfeitos com nossa vida sexual?” Se a resposta for “não”, cria uma oportunidade para um novo começo.

 

Fique saudável:

É preciso reconhecer a relação entre saúde física, mental e o desejo sexual – Casais em que um ou ambos os parceiros se sentem sobrecarregados com as exigências da vida e não prestam atenção ao seu bem-estar físico, não dormem o suficiente ou não têm tempo para se autodesenvolver, geralmente têm a libido mais baixa.

São necessárias duas pessoas motivadas e saudáveis ​​para fazer sexo pelo menos uma vez por semana, por isso, é importante que cada um reconheça o papel do próprio desejo. Indivíduos com baixa libido podem precisar de ajuda e apoio profissional para se sentirem motivados a fazer sexo.

 

Separe um tempo para o prazer:

Arranjar um tempo para o sexo – por mais bobo que pareça, não há nada de errado em zelar por um momento especial como esse, longe de distrações em que ambos saibam que têm tempo para se divertir.

O sexo espontâneo pode ser maravilhoso, assim como o sexo planejado.

Muitas pessoas acham que planejar o sexo é estranho, mas em nome de uma vida mais feliz é preciso criar estratégias.

Busque conselhos:

A terapia também pode ser uma opção para explorar o comportamento, vontades, medos e até mesmo a vergonha, além de abordar áreas da vida que causam infelicidade.

Procure saber mais sobre Terapia Sexual e aconselhamento para o casal pelo telefone: (31) 3097-1308

Para ter acesso a mais conteúdos sobre Sexologia e Urologia, acompanhe nas redes sociais: @doutormax

0 respostas

Deixe uma resposta

Participe da discussão.
Fique a vontade para contribuir!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *