Dor no sexo

Dor durante a penetração: O que fazer?

Qual a solução para esse problema que atrapalha a vida sexual de tantas mulheres?

A maioria das pessoas já sentiu ou ainda vai sentir algum desconforto em suas experiências sexuais. Para as mulheres, a falta de lubrificação, dificuldades com a penetração e problemas ginecológicos podem até fazer com que o momento passe de prazeroso para dolorido.

A dor, seja ela onde for, deve sempre ser analisada pelo médico, bem como qualquer sangramento ou algo do tipo.

Ninguém deve tolerar uma experiência sexual dolorosa e há muito que pode ser feito para ajudar. Os problemas de lubrificação vaginal podem ser contornados com lubrificantes ou outras recomendações. Já o envolvimento emocional e o entendimento das necessidades sexuais de cada parceiro, pode ajudar na excitação e penetração.

Leia também:

Como a dispareunia pode afetar a intimidade?

O que é Vaginismo e como enfrentá-lo?

Não consigo chegar ao orgasmo com meu parceiro

 

Sexo não deve doer

Sentir dor durante o sexo não é comum e não deve ser ignorado pela mulher. Uma vez ou outra é normal sentir algum desconforto, seja por questões hormonais ou etc, mas jamais uma dor intensa.

O sexo deve ser uma experiência agradável e, se não for, fale com o seu parceiro – e com o seu médico.

 

Problemas com penetração

Para algumas mulheres, a penetração com um parceiro ou através da masturbação pode ser difícil e, às vezes, impossível. Geralmente, isso caracteriza uma condição chamada Vaginismo, quando os músculos presentes na entrada da vagina se contraem involuntariamente. Essa disfunção causa dor e independe da estimulação sexual ou do grau de excitação da mulher.

Ocasionalmente, esse problema está presente desde o começo da vida sexual, mas também pode se desenvolver ao longo do tempo, mesmo que a mulher já tenha feito sexo de forma prazerosa anteriormente.

Partos, traumas e procedimentos ginecológicos invasivos podem contribuir para a dor, além de problemas emocionais como ansiedade, cansaço e insegurança. De forma geral, as dificuldades em ser penetrada podem ser resultado de qualquer coisa, desde estresse até mesmo traumas, cirurgia ou doença.

 

Falta de lubrificação vaginal é a causa mais comum

A secura vaginal é comum em mulheres na menopausa e na pós-menopausa, embora as mulheres mais jovens também possam experimentar. A falta de lubrificação pode não apenas tornar o sexo doloroso, mas também afeta o equilíbrio de boas bactérias da vagina, o que pode resultar em infecções que contribuem para o sexo doloroso.

Se esse for o caso, aposte nos lubrificantes!

 

Muitas condições podem causar dor durante o sexo

A lubrificação vaginal é a razão mais frequente, mas há muitas outras razões pelas quais o sexo pode se tornar doloroso. Algumas condições que podem estar na raiz do problema são:

Disfunção do assoalho pélvico: os músculos do assoalho pélvico – aqueles que você pressiona quando deseja interromper o fluxo de urina – podem ficar dolorosamente tensos, impedindo qualquer tipo de penetração.

Vaginismo: Os músculos na abertura da vagina ficam fortemente contraídos, causando dor durante o sexo.

Vulvodínia: dor crônica na abertura da vagina, incluindo queimação, pontadas, coceira e dor durante o sexo.

Infecções: Infecções bacterianas ou sexualmente transmissíveis podem causar dor durante o sexo e geralmente apresentam outros sintomas, como corrimento.

Cistos ovarianos: Esses cistos presentes nos ovários geralmente não apresentam sintomas. Quando se rompem, podem causar dor e sangramento.

Miomas: esses tumores não cancerígenos presentes no útero podem causar sangramento menstrual intenso, pressão pélvica e dor durante as relações sexuais.

 

Existe tratamento

Para alguns casais, o desconforto pode ser trabalhado através do relaxamento, romance e uma boa conversa. Além disso, começar a usar lubrificantes e tentar coisas novas na cama pode ajudar o casal a descobrir o que é confortável ou não.

Mas se você precisar de mais ajuda, uma boa ideia é conversar com um terapeuta sexual sobre técnicas e exercícios que ajudam a gerenciar a dor, o desconforto e facilitam a penetração. Em muitos casos, a terapia sexual pode reduzir significativamente os problemas ou erradicá-los de uma vez.

Depois que você conseguir descartar qualquer problema fisiológico, conversar com o parceiro e experimentar maneiras diferentes de satisfazer a si mesmo e a ele (o que pode não ter a ver com penetração) pode ajudar a reduzir a ansiedade e facilitar a relação.

Diferente de outras formas de tratamento, a terapia sexual busca ser breve e com foco no problema sexual, de forma clara e objetiva. O Terapeuta Sexual combina exercícios sexuais para estimular o autoconhecimento e o erotismo, com uma psicoterapia breve para trabalhar dificuldades emocionais e comportamentais.

Não sofra em silêncio

Se o sexo dói, e especialmente se dói a ponto de evitá-lo ou querer parar de fazê-lo, é hora de procurar um especialista. Primeiramente, recomendo consultar um ginecologista sobre problemas fisiológicos capazes de afetar o sexo. Posteriormente, a terapia sexual para tratar as causas subjacentes do desconforto.

Noto que muitas mulheres relutam em falar sobre qualquer problema que estejam tendo na região pélvica, seja um prolapso, incontinência ou dor. Muitas não se abrem para amigos ou mesmo para o parceiro sobre esses problemas e, como resultado, eles se prolongam e se tornam misteriosos.

Muitas pacientes tendem a se culpar nessa situação, quando na verdade não têm culpa de absolutamente nada.

Para elas, tenho um recado especial: é importante se abster de preconceitos e ter coragem de buscar ajuda profissional. Somente dessa forma você conseguirá se sentir plena e feliz em sua vida sexual.

É normal que as pacientes fiquem ansiosas por consultar um Terapeuta Sexual, especialmente pela primeira vez. No entanto, a maioria reconhece isso e tenta fazer com que seus pacientes se sintam à vontade. Geralmente, a consulta começa com perguntas sobre a saúde e o histórico sexual da mulher, sua educação sexual, suas crenças sobre sexo e suas queixas sexuais.

Explico mais sobre como funciona uma sessão de Terapia Sexual e como ela pode ajudar no post: Terapia Sexual: O que é e quando procurar um Sexólogo?

Procure saber mais sobre Terapia Sexual e aconselhamento para o casal pelo telefone: (31) 3097-1308

Para ter acesso a mais conteúdos sobre Sexologia e Urologia, acompanhe nas redes sociais: @doutormax

0 respostas

Deixe uma resposta

Participe da discussão.
Fique a vontade para contribuir!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *