Desejo mudou

Nossos desejos sexuais são diferentes: O que fazer?

Veja o que fazer quando o desejo sexual varia entre o casal

Muitos casais experimentam uma divergência no desejo de cada parceiro, ao longo da relação. Para alguns, isso fica bem evidente desde o começo, enquanto outros, podem ser surpreendidos após alguns anos.

O importante em todos os casos, é manter a calma e entender que isso é perfeitamente normal. Ao invés de tratar essa situação como um problema, pode ser mais vantajoso abraça-la como um desafio e conversar sobre maneiras de superá-lo.

Para o parceiro que demonstra menos desejo, o mais importante é ser compreendido e não se sentir envergonhado. Além disso, é importante que ele busque saber o que está motivando esse comportamento e reavalie alguns aspectos da sua vida sexual.  

Para ajudar nessa questão, separei algumas coisas que podem influenciar a diminuição do desejo sexual. Veja nos itens abaixo!

 

Leia também:

– 14 Dicas que podem ajudar a apimentar seu relacionamento

– Como lidar com a rotina?

– O orgasmo feminino: o que as mulheres desejam?

 

Problemas no relacionamento

Se a pessoa está num relacionamento na qual não se sente bem, obviamente que a relação sexual não será uma das coisas mais desejadas.

Nesse caso, uma das opções é que ambos os parceiros busquem ajuda profissional com um terapeuta. Dessa forma, podem lidar com os mais variados motivos que levaram o relacionamento até esse estágio.

Quando os problemas são discutidos, é possível que o sexo se torne mais desejado e até mais gratificante do que antes.

Ninguém deve fazer sexo sem vontade ou sentir-se pressionado a atividades que não parecem certas ou confortáveis. Se você estiver preocupado com isso, pode ser útil conversar com um conselheiro.

 

Estresse

O estresse é uma das causas mais comuns da queda do desejo sexual.

Uma das melhores maneiras de aliviar o estresse pode ser conversando, passando um tempo de qualidade com a pessoa amada ou até mesmo fazendo sexo. No entanto, é extremamente importante que a pessoa sinta que seu parceiro está verdadeiramente interessado nela, e não apenas deseja sexo.

Se um dos parceiros acredita que o estresse está afetando sua vida sexual, deve conversar sobre isso com seu parceiro e deixar claro que esse sentimento não provém do relacionamento.

Quando a relação é o agente estressor, o casal deve conversar e expor seus pontos de vista. Se possível, com a ajuda de um terapeuta.

 

Problemas de saúde

Alguns problemas de saúde mental, como a depressão e a ansiedade, podem fazer com que a pessoa deixe de desejar o contato sexual e, em alguns casos, precise de muito mais estímulos para tal. Se esta é a situação do relacionamento, pode ser útil discuti-la com o psicólogo ou psiquiatra.

Além disso, alguns medicamentos prescritos podem ter efeitos colaterais que afetam o desejo sexual, como as pílulas anticoncepcionais, por exemplo. Já expliquei sobre elas nesse post, clique aqui para ler.

Nesses casos, o paciente deve apresentar suas queixas ao médico e juntos devem buscar outras alternativas.

 

Nova função: pais

Embora filhos sejam maravilhosos, tornar-se pai ou mãe é um desafio. Noites sem dormir, uma nova rotina completamente diferente da anterior e a necessidade de se concentrar em cuidar do novo membro da família, podem demandar muito trabalho e fazer com que o desejo sexual fique em segundo plano.

Diante disso, dedicar um tempo para explorar como cada um se sente em relação a essa nova dinâmica familiar, individualmente, em conjunto ou com um terapeuta sexual, pode ajudar.

 

Problemas em torno da imagem corporal

Nosso corpo muda muito durante a vida. Doenças, envelhecimento, gravidez e a variação do peso, também podem afetar a forma como nos sentimos em relação a nós mesmos e ao nosso corpo.

Por isso nem sempre nos sentimos a vontade em compartilhar essa intimidade com o parceiro.

Nessa situação, encontrar as palavras certas para descrever o incomodo pode ser um diferencial, já que muitas pessoas tendem a se calar e se afastar do parceiro.

Outra dica importante é buscar entender quais aspectos do corpo incomodam, por que eles existem e qual sua história. Muitas vezes a chave da questão está em resignficar esses “defeitos”. Por exemplo, uma mulher que passou pelo processo de gravidez carrega marcas desse momento, que podem significar mais do que defeitos corporais pois contam a história da chegada de uma nova vida.

É importante abrir mão de padrões de beleza e abraçar sua própria narrativa.

Se o casal está passando por isso, uma boa opção é conversar com um Terapeuta Sexual, que pode ajudar a lidar com os diversos sentimentos que cercam a questão.

 

O que é Terapia Sexual?

Um processo psicoterapêutico, focado em questões de sexualidade humana, é capaz de ajudar pessoas e deixarem medos e anseios de lado.  Através da terapia sexual é possível ser mais feliz, livrando-se do incômodo e a insatisfação. É possível experimentar o sexo como uma atividade íntima, prazerosa e saudável.

Atualmente ofereço orientação especializada em Sexologia em meu consultório.

Para marcar uma consulta e ser avaliado adequadamente, ligue para: (31) 3097-1308 ou entre em contato pelo e-mail: contatodrmax@gmail.com

Para ficar por dentro do conteúdo de urologia e sexologia, me acompanhe nas redes sociais: @doutormax

0 respostas

Deixe uma resposta

Participe da discussão.
Fique a vontade para contribuir!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *