Como superar a ansiedade de desempenho?

Como superar a ansiedade sexual e ser feliz novamente?

Veja como vencer a ansiedade de desempenho e retomar o controle da sua vida sexual

O sexo é uma parte natural e muito bem apreciada nos relacionamentos, mas o que acontece quando algo que deveria ser tão divertido dá lugar a dúvidas e angústias? Bom, esse é um problema conhecido como Ansiedade Sexual.

Os ansiosos já sabem: sofrer com a ansiedade significa ter que lidar com ela em todos os momentos da vida, inclusive na cama. Isso pode ser extremamente difícil e causar muito sofrimento.

A chamada ansiedade sexualou ansiedade de desempenho sexual – é algo que afeta homens e mulheres de todas as idades, independentemente do quão “experientes” sejam.

Para alguns, o problema dura pouco e desaparece após um novo encontro sexual. Já para outros, incomoda mais e acaba acontecendo com maior regularidade.

Já expliquei mais sobre ela no post: Como lidar com a ansiedade durante o sexo?

A ansiedade de desempenho pode resultar em disfunções variadas, desde ejaculação precoce e disfunção erétil no caso dos homens, até dificuldade de chegar ao orgasmo nas mulheres.

Mas como ela se manifesta? Quais são seus sintomas? Tem tratamento? Se você já sofreu ou sofre com a ansiedade sexual, esse artigo é para você!

 

Leia também:

– 10 dúvidas sobre Disfunção Erétil

– Segredo para melhorar a vida sexual

– 5 motivos que levam a terapia sexual

 

O que é ansiedade sexual?

Ansiedade por desempenho sexual é um sentimento de nervosismo e ansiedade antes e durante o sexo. É extremamente comum e pode ocorrer por diversos motivos, como:

Desempenho sexual: medo de não conseguir satisfazer completamente o parceiro;

Imagem corporal: preocupação com o peso, altura ou tamanho do pênis, no caso dos homens;

Medo de falhar: se preocupar demais com a ereção e a ejaculação precoce;

Relacionamento abalado: falta de conexão emocional ou insatisfação com o relacionamento;

Outras fontes de estresse, como dificuldades em relação ao trabalho, relacionamentos, família ou outros aspectos não sexuais do cotidiano também podem influenciar o problema.

Alguns sintomas da ansiedade sexual são:

  • Aumento da frequência cardíaca
  • Respiração rápida
  • Sensação de perigo iminente
  • Problema de concentração
  • Tremor
  • Sudorese

No caso das mulheres também é possível:

  • Sentir pouco ou nenhum prazer durante o sexo;
  • Dificuldade de se concentrar “no momento”;
  • Baixa libido;
  • Contração involuntária do assoalho pélvico, o que pode dificultar ou impossibilitar a penetração e inclusive tornar a relação dolorida;

Ao experimentar tudo isso, o corpo reage e libera quantidades maiores dos chamados “hormônios do estresse”, como a adrenalina por exemplo, dificultando ainda mais o relaxamento e a atividade sexual.

Quando não tratada e ignorada, a ansiedade do desempenho pode piorar com o tempo, pois uma experiência ruim cria mais ansiedade e estresse sobre o sexo.

 

Mas por que a ansiedade aparece?

Aqui, o assunto fica mais complicado e as coisas se tornam mais complexas. Mas para simplificar: muita gente se sente “naturalmente” insegura na cama, seja por falta de experiência ou pelo medo de se tornar tão íntima de outra pessoa, enquanto outras passam por situações que as deixam incomodadas.

Em alguns casos, a ansiedade decorre de uma experiência traumática – talvez relacionada à violência sexual. Nessa situação, meu conselho é buscar ajuda especializada o mais breve possível. É possível receber orientações gratuitas pelo Centro de Valorização da Vida (CVV) através do número 141.

Mas, na maioria dos casos essa resposta é condicionada pela maneira como fomos educados a pensar sobre certos aspectos do sexo e do nosso próprio corpo, e pelas expectativas sociais que afetam o relacionamento.

Abaixo, separei algumas dicas sobre como lidar com esses momentos de incerteza e angústia antes e durante o sexo, para que seja possível voltar a desfrutar de uma vida sexual mais feliz e saudável.

 

Possua seu corpo

A imagem corporal é um fator importantíssimo na busca por uma vida sexual mais saudável. Estar inseguro sobre a aparência e se preocupar sobre o parceiro sentir ou não atração, pode dificultar o prazer. Muitas desses “defeitos” nem são percebidos pelo o outro e só servem com empecilho.

Se você está preocupado por não ter o corpo de um “top model” e tem medo de que isso atrapalhe sua vida sexual, aqui vão algumas dicas: pense em tudo o que você gosta sobre si mesmo e se lembre disso sempre.

Um exercício muito recomendado entre os especialistas da área é tirar um momento para se olhar no espelho, de preferência nu, e buscar se conectar com aquela imagem, se sentir confortável em sua própria pele e reconhecer tudo o que há nela. Depois repita esse mesmo processo amanhã, no dia seguinte e sempre.

O segredo para esse processo está na repetição, e te ajuda a começar a se sentir confortável com seu próprio corpo e amá-lo por sua beleza única.

 

Saiba mais sobre (o seu tipo de) sexo

Outro obstáculo que pode afetar a ansiedade do desempenho sexual – embora a maioria das pessoas não admita – é simplesmente a falta de educação sexual adequada.

Isso não necessariamente significa que as pessoas não saibam como os corpos devem interagir, mas talvez que elas não estejam totalmente preparadas para a realidade de um encontro sexual. A realidade é que todos funcionam de maneira diferente e têm necessidades diferentes.

Muitos podem não conhecer muito bem as diferentes “técnicas” para alcança ou dar prazer. Outros podem sentir medo por não saberem exatamente como o corpo “deve” reagir durante o sexo ou sobre os mitos da gravidez.

Há ainda, aqueles que se preocupam se seus desejos e necessidades são “normais”.

Em qualquer dessas situações, é preciso converso com um profissional de saúde, ler livros e ver vídeos com conteúdo que explorem o assunto ou participar de oficinas conduzidas por educadores sexuais.

Outra excelente opção é conversar com terapeuta sexual ou sexólogo a respeito das dúvidas. Nós estamos habituados a responder as mais variadas perguntas sobre o tema e o paciente não precisa se preocupar em ter que se explicar.

 

Existe tratamento?

Como a ansiedade de desempenho pode ocorrer por várias razões, em primeiro lugar o tratamento se concentra em identificar e resolver o fator/fatores que causam a ansiedade.

Às vezes, a ansiedade do desempenho pode ser resolvida à medida que a pessoa se familiariza e se sente mais confortável com seu parceiro sexual. Em outros casos, a ansiedade pode desaparecer à medida que as fontes de estresse são identificadas e resolvidas.

Outras opções de tratamento para a ansiedade sexual incluem aconselhamento e terapia sexual para trabalhar os aspectos da intimidade e do desempenho sexual, além de mudanças no estilo de vida para a reduzir o estresse e o pensamento negativo.

Pesquisas também mostram que a terapia de relaxamento com imagens guiadas, também pode ser eficaz para ajudar a tratar a ansiedade sexual.

Medicamentos para disfunção erétil, como sildenafil, tadalafil e vardenafil, também podem ser usados ​​no tratamento da ansiedade de desempenho sexual como uma maneira de proporcionar mais confiança aos homens com problemas de desempenho sexual. Mas assim como todos os medicamentos prescritos, essa opção não é aplicada em grande escala e deve ser discutido com exclusivamente com o urologista.

 

O que fazer?

Se a ansiedade sexual está atrapalhando o seu relacionamento, é importante não desistir e buscar ajuda. De forma alguma você deve se culpar ou ignorar o problema, pois ele tende a se intensificar.

Por isso, não hesite em procurar ajuda para que você possa voltar a ter uma vida sexual ativa e prazerosa.

Sou Doutor Max, atualmente médico no Hospital da Unimed e Hospital das Clínicas da UFMG, na especialidade de Urologia.

Sou especialista em sexologia clínica e atendo muitos pacientes com problemas para lidar com a ansiedade de desempenho.

Procure saber mais sobre Terapia Sexual pelo telefone: (31) 3097-1308

Para ter acesso a mais conteúdos sobre Sexologia e Urologia, acompanhe nas redes sociais: @doutormax

0 respostas

Deixe uma resposta

Participe da discussão.
Fique a vontade para contribuir!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *