Quais são as causas da Ejaculação Precoce? Existe tratamento?

ejaculação precoce não atinge apenas jovens inexperientes, que estão iniciando a sua vida sexual, e tampouco é um problema exclusivo de homens mais maduros. A ejaculação precoce pode acometer homens em diferentes idades e estilos de vida.

O que é a ejaculação precoce?

Considera-se ejaculação precoce aquela que ocorre de maneira descontrolada, com o mínimo de estimulação sexual e sem que o homem tenha controle do evento. Para ser classificado como um distúrbio, o episódio deve ocorrer com frequência e impedir que o paciente satisfaça sua parceira em pelo menos 50% das vezes.

Segundo informações da Sociedade Internacional de Medicina Sexual, a ejaculação precoce é assim considerada, quando ocorre logo após a penetração vaginal, em até 1 minuto. Ou até mesmo, quando percebe-se uma diminuição considerável na duração da relação sexual.

Muitas vezes, o homem não sabe apontar quanto tempo leva para atingir o ápice do prazer sexual, mas pesquisas revelam que homens sem dificuldades levam em média de 2 a 4 minutos.

Dados apontam que a ejaculação precoce é mais comum do que se imagina, pois um em cada três homens podem apresentar a condição.

Tipos de ejaculação precoce

Existem algumas classificações para os casos de ejaculação precoce que levam em consideração a origem, o tempo e o comportamento do paciente. São elas:

Ejaculação Primária: Tipo mais recorrente de ejaculação precoce. Interfere no desempenho masculino desde o início da vida sexual.

Ejaculação Secundária: Tipo de ejaculação que se apresenta naqueles indivíduos que anteriormente conseguiam controlar sua excitação. Pode ocorrer em alguns momentos da vida, mesmo após várias relações sexuais bem sucedidas.

Ejaculação Variável: Este tipo acomete homens que sofrem de ejaculação precoce ocasionalmente, em determinadas situações. Esses episódios não são considerados uma patologia.

Ejaculação Precoce Subjetiva: Neste caso, o homem até consegue manter controle sobre sua excitação, mas a relação sexual torna-se algo incômodo e gera insatisfação.

diagnóstico e tratamento para os diferentes tipos de ejaculação precoce devem ser realizados com atenção, por um médico especialista. O auxílio médico adequado é capaz de distinguir as causas e classificar corretamente a disfunção.

Para isso, é importante que os homens reconheçam a necessidade do tratamento, e abram mão da resistência masculina de procurar ajuda médica. O transtorno, quando sem tratamento adequado, é fonte de frustração com impactos diretos em todos os aspectos da vida do paciente.

Qual a diferença entre Ejaculação Precoce Primária e Secundária?

ejaculação precoce primária é uma disfunção crônica que atinge cerca de 65% dos pacientes que relatam sofrer com a ejaculação precoce. Seus sintomas geralmente se apresentam desde as primeiras experiências sexuais.

Nesses casos, 49% dos pacientes revelam ejacular ocasionalmente antes mesmo da penetração, ou ainda, durante o primeiro contato com a vagina.

Algumas características dessa disfunção são:

  • Sintomas presentes desde as primeiras experiências sexuais;

  • Aumento e agravamento das ocorrências ao longo da vida;

  • Ejaculação rápida em menos de 1 minuto, em 90% das vezes.

Já a ejaculação precoce secundária, ou também conhecida como adquirida, se apresenta após algum tempo de controle ejaculatório normal, ou seja, depois de várias relações sexuais bem sucedidas.

Sua manifestação pode acontecer de forma gradual ou repentina, e estar relacionada a:

  • Doenças endócrinas;

  • Doenças urológicas;

  • Efeitos colaterais medicamentosos;

  • Problemas anatômicos;

  • Problemas psicológicos.

 

Causas da ejaculação precoce

As principais causas da ejaculação precoce é a ansiedade.

Na adolescência é comum que o jovem se preocupe com aspectos da sua performance sexual e crie um estado de ansiedade que acelere o momento da ejaculação. Normalmente, os sintomas do problema amenizam e tendem a desaparecer a medida que o indivíduo amadurece emocionalmente.

ansiedade também pode afetar homens maduros que, conforme a incidência do evento, se tornam cada vez mais ansiosos.

A ocorrência do problema incide diretamente nos níveis de ansiedade, que passam a ficar maiores, gerando mais adrenalina e encurtando o período até a ejaculação. Em alguns casos, a ansiedade pode atingir níveis muito altos e dar origem a algum tipo de disfunção erétil.

Saiba mais sobre isso nesse artigo.

No entanto, quando o homem torna-se incapaz de estabelecer controle sobre seu reflexo ejaculatório, as causas podem ser diversas, como:

  • Níveis hormonais acima do normal;

  • Níveis de neurotransmissores acima do normal;

  • Atividade anormal do sistema ejaculatório;

  • Distúrbios da tireoide;

  • Inflamação ou infecção na próstata e na uretra;

  • Fatores genéticos;

  • Danos no sistema nervoso causados por experiências traumáticas ou cirurgias.

Nestas situações é necessário buscar auxílio médico e passar por uma série de testes e exames urológicos e neurológicos.

Nos homens mais velhos

Nos homens mais velhos, a ejaculação precoce está geralmente associada a outros tipos de problemas de saúde, tais como: inflamação da próstata, disfunção erétil, hipertireoidismo, por exemplo.

Quando procurar um médico?

O público masculino é mais displicente do que as mulheres no que diz respeito à procura por ajuda médica diante de situações preocupantes de saúde. E quando o tema é saúde sexual, a tendência a procurar auxílio médico é ainda menor

É importante ressaltar, que ao procurar um médico toda e qualquer dúvida pode ser sanada, tratamentos adequados são indicados e o agravamento do problema poderá ser evitado.

Afinal, a ejaculação precoce é um problema comum, que atinge muitos homens e pode ser tratada com êxito.

Como funciona o diagnóstico médico da ejaculação precoce?

Geralmente o médico especialista questionará sobre a vida sexual do paciente, condição de saúde atual e dependendo do caso, pode solicitar exames físicos ou laboratoriais.

Se o paciente estiver enfrentando problemas de ejaculação precoce e também dificuldade de ter e manter uma ereção, exames de sangue poderão ser solicitados para averiguar os níveis de testosterona, ou até mesmo outros tipos de testes, dependendo do perfil do paciente e do quadro clínico.

Como funcionará o tratamento?

As opções de tratamento, geralmente incluem técnicas comportamentais, anestésicos tópicos, medicamentos e também aconselhamento. As opções de tratamento são desenvolvidas de acordo com o perfil do paciente.

Nesta etapa, pode haver a necessidade de unir tratamentos psicoterápicos e o uso de antidepressivos que aumentam a presença de serotonina no cérebro, o que contribui para baixar os níveis de ansiedade e auxilia o paciente a aprender controlar a resposta ejaculatória.

Os tratamentos costumam durar algum tempo, tendo em vista que às vezes se faz necessário uma combinação terapêutica.

Recomendações

É importante que o paciente se sinta seguro e a vontade em procurar ajuda. Para isso, separei algumas dicas:

– Não se acanhe em procurar ajuda profissional de um especialista. A terapia sexual costuma trazer bons resultados.

– Considere a possibilidade um tratamento psicoterápico.

– Não evite a participação de sua companheira durante o tratamento.

Agende uma consulta e saiba mais sobre tratamentos e terapias sexuais.

0 respostas

Deixe uma resposta

Participe da discussão.
Fique a vontade para contribuir!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *