Atitudes que arruinam o relacionamento

4 Atitudes que podem acabar com o seu relacionamento

Veja quais são essas atitudes e como recuperar a felicidade no relacionamento

Os tipos de relacionamentos amorosos podem ser muito diferentes entre si, mas toda relação tem seus desafios e conflitos.

Uma pesquisa desenvolvida pelo renomado psicólogo e especialista e relacionamentos John Gottman, revelou que pelo menos quatro fatores em especial, podem resultar num relacionamento abalado e parceiros insatisfeitos.

Suas consequências são tão prejudiciais que, juntos, ganharam um apelido: Os Quatro Cavaleiros do Apocalipse. Obviamente, a existência desses fatores não é uma condenação para o relacionamento, especialmente quando os casais aprendem a identificar essas situações e a trabalhar por alternativas mais saudáveis. Veja como fazer isso logo mais.

 

4 atitudes que podem arruinar o seu relacionamento

Crítica em excesso

A crítica excessiva é bastante diferente do feedback construtivo e das queixas legítimas – os quais, embora potencialmente percebidos como “negativos”, podem ser maneiras importantes de expressar suas considerações sobre um problema ou situação específica.

A crítica prejudicial se baseia em preceitos absolutos e questiona o caráter da pessoa, em vez de uma característica ou comportamento específico. Declarações como “Você está sempre atrasado” ou “Você é tão egoísta e nunca me escuta” são exemplos de críticas prejudiciais.

Em vez de reconhecer uma preocupação específica (por exemplo, “Fico frustrado quando você chega atrasado”), um parceiro excessivamente crítico rejeitará seu ente querido numa tentativa inadequada de expressar sua frustração.

Se as críticas persistirem de maneira tão impetuosa, o destinatário pode começar a se sentir magoado, rejeitado e atacado. Infelizmente, isso pode abrir caminho para outros problemas no relacionamento.

 

Desprezo

Desprezo é uma das partes mais negativas e sombrias da crítica. Além de ferir o caráter e a personalidade do ente querido, um dos parceiros assume superioridade moral sobre o outro. Nesses casos, ele se sente “melhor do que” o parceiro e tenta fazê-lo se sentir inútil.

O desprezo não fere apenas emocionalmente. Pesquisas recentes mostram que casais que experimentam esse tipo de ralação têm maior probabilidade de ficarem fisicamente doentes. Embora as razões ainda não estejam claras, o adoecimento pode estar relacionado ao estresse crônico – geralmente causado por um relacionamento tóxico e prejudicial – que enfraquece o sistema imunológico.

 

Ficar na defensiva

Ser criticado várias vezes faz com que um parceiro sinta e aja defensivamente. Ele ou ela pode apresentar desculpas na tentativa de explicar as acusações que sofre, em vez de assumir a responsabilidade ou tentar ver as coisas sob a perspectiva do parceiro.

Essa atitude nada mais é do que um conjunto de medidas que instintivamente, servem para preservar de possíveis danos, especialmente o emocional.

Portanto, a fragilidade interna obriga o indivíduo a adotar uma postura mais evasiva e até ofensiva quando confrontado. No entanto, essa atitude pode ser danosa.

Embora compreensível, ficar na defensiva não é uma estratégia eficaz para a resolução de conflitos. Essa atitude pode alimentar os sentimentos de desprezo e ressentimento, e muitas vezes leva a um jogo de culpa que além de improdutivo, é destrutivo e estressante.

 

Stonewalling (dar um “gelo”)

Isso é evidente quando numa conversa ou discussão, o ouvinte se afasta da situação e para de interagir ou de se comunicar. Ao fazer isso, metaforicamente, cria-se um muro entre os parceiros.

Em vez de confrontar o problema, o parceiro demonstra estar totalmente indiferente a situação, realizando manobras evasivas, como se ocupar com outras coisas ou simplesmente sair.

Costuma levar algum tempo para que a negatividade criada pelos três primeiros fatores se torne esmagadora o suficiente para que o stonewalling se torne uma “saída”, mas quando isso acontece, frequentemente se torna um hábito.

 

Como reverter o problema

O primeiro passo para eliminar “Os Quatro Cavaleiros” de um relacionamento é conscientizar-se da presença deles. Os casais devem aprender a reconhecer esses traços e procurar conselhos ou métodos para fortalecer a relação com um terapeuta de casais.

O próximo passo é substituir esses vícios negativos por outros positivos. Como:

  • Discutir os problemas através de sentimentos como “eu sinto que…”.
  • Expressar regularmente o sentimento de gratidão e apreço.
  • Assumir responsabilidade sobre os problemas e pedir desculpas genuínas.
  • Fazer pausas quando se sentir estressado ou sobrecarregado.

Vale a pena lembrar que saúde mental de ambos os parceiros desempenha um papel muito importante na saúde do relacionamento. Não se deve esquecer de cuidar de si mesmo!

 

Saber lidar com a situação

Saber identificar os momentos críticos e trabalhar positivamente as emoções, é um ato muito útil e eficaz de autocuidado, e se cada um dedicar tempo e energia suficientes a si mesmo (dormir bem, estar bem nutrido, se exercitar, se entreter), poderá ver a frequência e a intensidade das brigas diminuírem drasticamente.

Lembre-se: a capacidade de se acalmar é uma das habilidades mais importantes que se pode aprender. Praticar essa atitude pode ser útil não apenas nos relacionamentos românticos, mas em todas as outras áreas da vida.

O aconselhamento individual pode ajudar a abordar visões negativas sobre sexo, autoestima e causas secundárias de baixa libido, como depressão e ansiedade.

Saiba mais sobre as opções de tratamento e a Terapia Sexual pelo telefone: (31) 3097-1308

Lembre-se: a capacidade de se acalmar é uma das habilidades mais importantes que se pode aprender. Praticar essa atitude pode ser útil não apenas nos relacionamentos românticos, mas em todas as outras áreas da vida.

Se você deseja criar um relacionamento profundamente significativo, com confiança e intimidade, acompanhe as novidades do blog e das redes sociais: @doutormax .

0 respostas

Deixe uma resposta

Participe da discussão.
Fique a vontade para contribuir!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *