Anticoncepcional e desejo feminino

Pílula anticoncepcional pode diminuir o desejo da mulher?

Saiba como a pílula pode influenciar a libido feminina

Você sentiu que seu desejo sexual diminuiu após começar a tomar pílula anticoncepcional? Você não está sozinha.

Muitas mulheres reclamam sobre a queda da libido, que, basicamente, significa a perda de desejo/impulso sexual. Pode ser um problema passageiro ou duradouro, dependendo das razões que a originaram.

No caso dos anticoncepcionais, embora grande parte das mulheres não sintam esse efeito colateral, isso não significa que o anticoncepcional e o desejo sexual não estejam relacionados. Dependendo do organismo e dos hormônios utilizados ​​nas pílulas anticoncepcionais, o desejo sexual pode sim ficar mais intenso ou mais fraco.

Abaixo, mostro como as pílulas anticoncepcionais agem no organismo feminino e como podem impactar a libido, o prazer sexual e o cotidiano da mulher.

 

Leia também:

 

Todas as mulheres sentem isso?

Antes de explicar como funciona a relação entre pílula anticoncepcional e desejo sexual, é importante ressaltar que durante o seu uso a maioria das mulheres não experimenta nenhuma mudança na libido.

Em uma revisão sistemática de estudos sobre contracepção oral e desejo sexual, a maioria das mulheres que usaram pílulas anticoncepcionais não relatou alteração em sua libido.  Das 8.422 mulheres envolvidas nos estudos, pouco mais de 21% relataram um aumento no desejo sexual após iniciar o controle da natalidade, enquanto 15% relataram uma diminuição no interesse por sexo.

De uma perspectiva hormonal, a pílula anticoncepcional e o desejo sexual estão relacionados a partir das mudanças nos níveis de androgênios, estrogênios e dos hormônios progestágenos, provocadas pela ingestão da pílula.

 

Como o anticoncepcional pode afetar seu desejo sexual?

As pílulas contêm uma combinação de hormônios progesterona e estrogênio ou apenas hormônios progestágenos. Esses hormônios funcionam sozinhos ou em conjunto para interromper a ovulação e reduzir o risco de gravidez.

A combinação de hormônios estrogênio e progesterona em pílulas anticoncepcionais pode diminuir os níveis de testosterona do organismo. Como a testosterona é um dos vários hormônios responsáveis ​​pela regulação do desejo sexual, sua redução isso pode levar a diminuição da libido.

Níveis mais baixos de testosterona também podem tornar o clitóris e a vagina menos sensíveis aos estímulos, o que significa que a mulher não apenas está com a libido reduzida, como o sexo se torna menos prazeroso do ponto de vista físico. Portanto, se você está se perguntando: “A pílula anticoncepcional afeta o prazer?”, A resposta pode ser sim.

Além oscilação da testosterona influenciar no interesse sexual, os hormônios das pílulas anticoncepcionais também podem reduzir a quantidade de fluído de excitação (lubrificação) na vagina, tornando o sexo mais difícil e menos agradável.

Nem todo mundo experimenta esses efeitos colaterais, mas ainda vale a pena notar. Toda mulher tem um nível diferente de sensibilidade a estrogênios, progestágenos e andrógenos, o que significa que é possível não notar nenhuma mudança no desejo sexual, sensibilidade vaginal ou nível de prazer sexual após iniciar o uso das pílulas – ou você pode notar uma diferença enorme.

 

Por que, em algumas mulheres, as pílulas anticoncepcionais aumentam a libido?

Se os hormônios presentes nas pílulas podem suprimir a produção de androgênio e tornar o sexo menos agradável, por que algumas mulheres dizem que o desejo sexual aumentou após seu uso?

A resposta pode ser bastante simples: todo mundo é diferente. Existem várias razões pelas quais uma mulher pode ter mais desejo do que outra:

Menor preocupação:

É comum sentir-se preocupada com relação ao sexo quando não se usa nenhum método contraceptivo, pois existe um risco real de gravidez. Depois de começar a usar as pílulas a mulher pode relaxar e se sentir mais confiante em fazer sexo.

Os níveis de estrogênio muito baixos:

Estrogênio e testosterona desempenham um papel importante na regulação do desejo sexual. Quando seus níveis de estrogênio estão baixos, é comum sentir-se menos interessado em sexo do que o normal.

Níveis naturalmente baixos de estrogênio:

Uma condição relativamente comum para mulheres jovens ou na pré-menopausa. A adição de estrogênio nas pílulas pode contribuir para o aumento do desejo sexual.

Menstruação controlada:

Como as pílulas anticoncepcionais podem facilitar a menstruação e reduzir a frequência de dores de cabeça e cólicas, a mulher pode experimentar um aumento em seu interesse por sexo antes da menstruação.

 

Diante de tantas reações diferentes, o que fazer?

Para as mulheres que sofrem com a TPM, cólicas severas, endometriose, miomas ou sangramento menstrual intenso, o alívio induzido pela pílula pode muito bem melhorar o ato sexual. Mas para outras mulheres, os benefícios podem não ser suficientes.

Ao considerar tomas pílula anticoncepcional, a mulher deve saber que:

  • É possível ocorrer uma ampla gama de efeitos sexuais.
  • É preciso compreender as próprias reações e não se deixar dominar por opiniões externas.
  • É preciso consultar um especialista. Os médicos de família podem prescrever a pílula, mas ao notar alguma alteração no desejo sexual, é preciso recorrer ao ginecologista.
  • Se as desvantagens da pílula superam suas vantagens, é possível escolher outro contraceptivo. Com o uso adequado, muitos são igualmente confiáveis ​​e não interferem na sexualidade.

Se a queda da libido estiver relacionada a questões físicas e/ou emocionais, a mulher também pode buscar ajuda profissional para ter sua vida sexual melhorada. Isso é possível através de terapia sexual, terapia de casal ou psicoterapia.

Atualmente ofereço orientação especializada em Sexologia em meu consultório.

Para marcar uma consulta e ser avaliada adequadamente, ligue para: (31) 3097-1308 ou entre em contato pelo e-mail: contatodrmax@gmail.com

Para ficar por dentro do conteúdo de urologia e sexologia, me acompanhe nas redes sociais: @doutormax

0 respostas

Deixe uma resposta

Participe da discussão.
Fique a vontade para contribuir!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *